Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Repórter desistiu de documentário do submarino Titan após frase de CEO sobre segurança

    Em 2021, Brian Weed perguntou a Stockton Rush o que poderia ser feito em uma situação de emergência, e resposta foi considerada “muito estranha”

    Gabriel Fernedada CNN em São Paulo

    Em 2021, o repórter Brian Weed realizou um mergulho teste no submarino Titan, da OceanGate.

    Na época, Weed fez o mergulho na embarcação como um teste para o documentário “Expedição Desconhecida”, do canal de TV Discovery Channel, que falaria sobre a viagem do Titan até os destroços do Titanic.

    O repórter então perguntou ao CEO da OceanGate, Stockton Rush – uma das vítimas da implosão do submarino Titan no mês passado – o que poderia ser feito em uma situação de emergência e caso a embarcação não fosse encontrada, uma vez que os tripulantes estariam trancados no submersível.

    “Você irá morrer de qualquer jeito”, respondeu Rush ao repórter do Discovery Channel. Brian Weed contou ao jornal “Insider” que a afirmação era “muito estranha”.

    “Parecia uma coisa muito estranha de se pensar e parecia ser quase uma atitude niilista em relação à vida ou à morte no meio do oceano”.

    Weed questionou também o CEO da OceanGate sobre o que podia acontecer caso o submarino se perdesse. Rush disse em resposta que “há quatro ou cinco dias de oxigênio a bordo”.

    Brian Weed embarcou no submarino junto do apresentador Josh Gates, e descreveu as falas de Stockton Rush como uma “atitude arrogante”.

    Durante a experiência de mergulho, o repórter disse ter se sentido inseguro: “Todo aquele mergulho me deixou muito desconfortável com a ideia de ir até às profundezas do Titanic naquele submersível.”

    A viagem até aos destroços acabou sendo abortada, devido a problemas mecânicos e de comunicação. No fim das contas, Brian Weed abandonou o projeto, alegando questões de segurança. Posteriormente, o documentário “Expedição Desconhecida” foi cancelado.

    O submarino Titan, da OceanGate, desapareceu no dia 18 de junho, um domingo, no Oceano Atlântico Norte, durante uma expedição que viajaria até os destroços do Titanic.

    Guarda Costeira dos Estados Unidos confirmou a morte dos passageiros do submarino no dia 22, após os destroços terem sido encontrados, indicando uma implosão da cabine.

    Estavam no submarino o empresário britânico Hamish Harding; o mergulhador Paul-Henri Nargeolet; o empresário paquistanês Shahzada Dawood e seu filho, Sulaiman Dawood; e o CEO e fundador da OceanGate, Stockton Rush.

    “Em nome da guarda costeira dos EUA dou os pêsames para as famílias. Só consigo imaginar como isso tem sido para eles e espero que essa descoberta traga algum conforto nesse momento tão difícil”, disse na época o contra-almirante John Mauger, comandante do Primeiro Distrito da Guarda Costeira, em entrevista à imprensa.