Republicanos querem Trump como líder, mas estão divididos sobre candidatura

Visões divergentes sobre papel do ex-presidente no partido – e sua força como futuro candidato à Casa Branca – destacam as disputas entre conservadores

Ex-presidente dos EUA Donald Trump durante conferência em Orlando
Ex-presidente dos EUA Donald Trump durante conferência em Orlando Foto: Joe Skipper/Reuters (28.fev.2021)

Ariel Edwards-LevyJennifer Agiestada CNN

Ouvir notícia

A maioria dos republicanos deseja que o ex-presidente Donald Trump continue na liderança do partido, de acordo com uma nova pesquisa da CNN conduzida pelo SSRS. Mas visões divergentes sobre o papel de Trump no partido – e sua força como futuro candidato à Casa Branca – destacam as divisões dentro do Partido Republicano.

63% dos republicanos e 37% dos independentes com tendência republicana dizem que Trump deveria ser o líder do partido. Mas eles estão divididos sobre se ter o ex-presidente de volta à chapa que disputará a Casa Branca em 2024 seria uma vantagem.

Enquanto 51% dizem que os republicanos têm uma chance melhor de retomar a presidência se Trump for o indicado, 49% dizem que o partido estaria melhor com um candidato diferente.

Esse é um cenário muito diferente de 2019, quando mais de três quartos dos republicanos disseram que o partido teria mais chances em 2020 com Trump como seu indicado.

O apoio de Trump não é distribuído igualmente por todo o partido: 69% dos republicanos sem diploma universitário acham que ele deveria liderar, em comparação com 49% dos que possuem diploma universitário.

72% dos conservadores dizem que Trump deveria liderar o partido, em comparação com 49% entre o bloco de moderados do partido. E 71% dos que se identificam como republicanos querem que Trump comande o partido, em comparação com 51% dos independentes com tendências republicanas e dizem o mesmo.

A maioria dos republicanos também considera o apoio a Trump – e sua falsa alegação de ter vencido a eleição de 2020 – uma parte importante de sua própria identidade partidária ao lado do apoio aos princípios conservadores.

Cerca de 6 em cada 10 dizem que apoiar Trump – e acreditar que ele ganhou em 2020 – são pelo menos uma parte importante do que ser um republicano significa para eles.

A maioria, porém, aponta para características partidárias mais tradicionais, com 69% dizendo que é pelo menos um pouco importante se opor às políticas democratas, 81% apoiar os republicanos no Congresso, 85% defender valores e posições conservadoras e 86% que o governo federal deve ter menos poder.

Identidade partidária democrática

Os democratas e os independentes com tendências democratas têm maior probabilidade de vincular sua identidade como democratas e apoiar políticas progressistas e mais ajuda governamental, concluiu a pesquisa.

Talvez refletindo seu status como o partido atualmente no poder, eles são menos propensos do que os republicanos a enfatizar a oposição ao outro partido: 58% dizem que, como democratas, é pelo menos um pouco importante se opor às políticas do Partido Republicano, 77% dizem que é importante apoiar Joe Biden, 81% que importa apoiar os democratas no Congresso, 84% que devem ocupar cargos progressistas e 93% que acreditam que o governo federal deveria fazer mais para ajudar as pessoas.

No lado democrata, as divisões mais nítidas ocorrem ao longo de linhas geracionais e raciais. Os democratas e os independentes com tendências democratas com mais de 45 anos, por exemplo, são 28 pontos percentuais mais prováveis ​​do que seus colegas mais jovens de considerar o apoio a Biden muito importante.

E 22 pontos mais prováveis ​​de dizer que apoiar os democratas no Congresso é muito importante. Os democratas negros são 14 pontos mais suscetíveis ​​do que os democratas brancos a dizer que apoiar Biden é muito importante. E os democratas negros são 12 pontos mais prováveis o que os democratas brancos a dizer que é muito importante que o governo federal faça mais para ajudar as pessoas.

Os democratas liberais têm mais probabilidade do que os moderados de dar grande importância à realização de políticas progressistas (em 32 pontos), opondo-se ao Partido Republicano (14 pontos), favorecendo um papel ampliado do governo federal (14 pontos) e apoiando os democratas no Congresso (12 pontos), mas mostram muito menos divisão sobre a importância de estar ao lado de Biden (3 pontos).

Tanto democratas quanto republicanos estão atualmente satisfeitos com as posições ideológicas que seus próprios partidos estão defendendo.

A grande maioria dos republicanos, 86%, chama o partido de mainstream; por outro lado, 92% dos democratas veem seu partido como dominante e 96% dizem o mesmo de Biden.

Os norte-americanos estão intimamente divididos em suas opiniões sobre o Partido Republicano, com 51% chamando-o de extremista e 49% dizendo que é geralmente dominante.

De 45% a 54% dizem que o Partido Democrata é geralmente mainstream. Apenas 14% dos americanos veem tanto o Partido Democrata quanto o Partido Republicano como extremistas demais. Outros 31% dizem que apenas os democratas são extremistas demais, com 37% dizendo que apenas os republicanos são, e 17% consideram ambos os partidos geralmente dominantes.

Biden é visto como mais popular do que seu partido como um todo: 61% dizem que ele é geralmente popular, em comparação com 39% que o consideram extremo demais.

Entre 2010 e 2013, a parcela do público que chamou os democratas de extremistas demais nas pesquisas CNN/ORC ficou em torno de 4 em cada 10, enquanto a parcela que disse o mesmo sobre o Partido Republicano naquela época chegou a 56%.

Eleição de meio de mandato em 2022

Olhando para as eleições legislativas do próximo ano, a pesquisa mostra que as preferências iniciais em uma cédula genérica estão divididas igualmente, com 45% dos eleitores registrados dizendo que votariam no candidato do Partido Democrata e 44% que votariam no candidato do Partido Republicano.

No geral, 28% dos eleitores dizem que estão extremamente entusiasmados em votar para o Congresso em 2022, mais do que os 18% que relataram entusiasmo semelhante em setembro de 2017, um ano antes das últimas eleições de meio de mandato.

Os eleitores de tendência republicana estão um pouco mais entusiasmados em votar na disputa do próximo ano do que os eleitores de tendência democrata (30% do lado republicano, 26% do lado democrata), e dentro de ambos os partidos, aqueles com tendências ideológicas mais fortes são mais entusiasmados (38% dos eleitores democratas muito liberais e 44% dos eleitores republicanos muito conservadores dizem que estão extremamente entusiasmados).

Mas se os democratas estão amplamente satisfeitos com sua atual liderança no Congresso, os republicanos – especialmente aqueles com laços fracos com o partido – estão menos satisfeitos.

A maioria dos que se autodenominam republicanos, 58%, aprova a liderança de seu partido no Congresso. Mas entre os independentes com tendência a apoiar o Partido Republicano, esse número cai drasticamente para 29%. Em contraste, 83% dos democratas aprovam a liderança de seu partido no Congresso, assim como 69% dos independentes com tendência democrata.

No geral, os norte-americanos desaprovam os líderes congressistas democratas por uma margem de 10 pontos percentuais, 55% a 45%, e desaprovam os líderes republicanos por uma margem mais ampla de 38 pontos, 69% a 31%. Isso é uma mudança em relação a 2019, quando as pesquisas da CNN encontraram os líderes congressistas de ambos os partidos com avaliações idênticas.

A nova pesquisa da CNN foi conduzida pelo SSRS de 3 de agosto a 7 de setembro online e por telefone entre uma amostra aleatória de 2.119 adultos recrutados de uma amostra com base em endereços.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN