Rússia confirma participação de Roman Abramovich em negociações com Ucrânia

Anúncio vem em meio a relatos da mídia de que o magnata russo apareceu como um interlocutor para facilitar possíveis negociações de paz

Roman Abramovich, enquanto dono do Chelsea, durante a Champions League, em maio de 2021
Roman Abramovich, enquanto dono do Chelsea, durante a Champions League, em maio de 2021 Alexander Hassenstein - UEFA/UEFA via Getty Images

Nathan Hodgeda CNN

Ouvir notícia

O Kremlin confirmou que Roman Abramovich — que entregou o comando do Chelsea em fevereiro –, participou das negociações russo-ucranianas, em meio a relatos da mídia de que o magnata russo apareceu como um interlocutor para facilitar possíveis negociações de paz.

Em uma teleconferência na quinta-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que Abramovich “participou das negociações no estágio inicial, isso é verdade”.

Pressionado ainda mais, Peskov deu poucos detalhes, mas acrescentou: “E agora as negociações estão em andamento entre as duas equipes de negociação – russa e ucraniana”.

Peskov estava respondendo a uma pergunta sobre um artigo no The Wall Street Journal que informava que o governo Biden adiou as sanções contra Abramovich por insistência do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, devido ao papel do oligarca em negociar a paz.

A CNN não confirmou de forma independente tal discussão entre Washington e Kiev, e Peskov não forneceu informações adicionais.

Separadamente, o Financial Times informou que o presidente russo, Vladimir Putin, endossou pessoalmente o potencial papel de Abramovich nas negociações, citando duas pessoas não identificadas com conhecimento direto do assunto.

A CNN também não confirmou de forma independente essa reportagem. Não está claro qual o papel que Abramovich está desempenhando nesta fase nas negociações prospectivas entre a Ucrânia e a Rússia.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN