Rússia diz ao TikTok para não recomendar conteúdo militar a menores

Regulador de comunicação da Rússia afirmou ter identificado conteúdos relacionados à operação militar na Ucrânia no aplicativo

TikTok é de propriedade da gigante de tecnologia chinesa ByteDance
TikTok é de propriedade da gigante de tecnologia chinesa ByteDance Shutterstock

Reuters

Ouvir notícia

O regulador de comunicação da Rússia exigiu nesta segunda-feira (28) que o TikTok pare de incluir conteúdo relacionado a militares em postagens recomendadas para menores de idade, em um anúncio compartilhado em seu canal oficial do Telegram.

O regulador Roskomnadzor afirmou ter identificado conteúdos no aplicativo de compartilhamento de vídeos relacionados à “operação militar especial” da Rússia na Ucrânia e que boa parte do material era de caráter anti-russo.

O TikTok é popular entre os usuários mais jovens e também tem uma versão voltada para crianças menores de 13 anos. No entanto, não ficou claro exatamente o que significava dizer que o TikTok estava recomendando conteúdo especificamente para menores. A empresa disse recentemente que está testando restrições de conteúdo com classificação etária.

O aplicativo, originalmente conhecido por vídeos de sincronização labial e tendências de danças que viralizam, tem sido amplamente usado para documentar eventos e compartilhar notícias no período que antecedeu e durante a invasão da Ucrânia pela Rússia. No aplicativo, também houve a disseminação de imagens enganosas sobre o conflito.

A Rússia, que multou empresas de tecnologia e prejudicou seus serviços no país durante um longo impasse com plataformas de Big Tech, aumentou as restrições durante o conflito.

O TikTok, de propriedade da gigante de tecnologia chinesa ByteDance, não respondeu a um pedido de comentário da reportagem.

(Reportagem de Elizabeth Culliford e do escritório de Moscou; edição de Aurora Ellis)

Mais Recentes da CNN