Rússia diz que riscos de guerra nuclear devem ser mantidos “no mínimo”

"Os riscos da guerra nuclear, que nunca deve ser desencadeada, devem ser reduzidos ao mínimo", citou Vladimir Yermakov, chefe do Ministério das Relações Exteriores para a não-proliferação nuclear

Nova estrutura de confinamento sobre o antigo "sarcófago" que cobre reator danificado da usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia
Nova estrutura de confinamento sobre o antigo "sarcófago" que cobre reator danificado da usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia 22/11/2018 REUTERS/Gleb Garanich

da Reuters

Ouvir notícia

(Reuters) – A Rússia acredita que os riscos de uma guerra nuclear devem ser reduzidos ao mínimo e que qualquer conflito armado entre potências nucleares deve ser evitado, afirmou a agência de notícias Tass, citando um funcionário do Ministério das Relações Exteriores russo neste sábado (30).

Vladimir Yermakov, chefe do Ministério das Relações Exteriores para a não-proliferação nuclear, disse que todas as potências nucleares devem se ater à lógica estabelecida nos documentos oficiais com o objetivo de evitar a guerra nuclear.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse na segunda-feira que o Ocidente não deveria subestimar os elevados riscos de conflito nuclear por causa da Ucrânia, embora os Estados Unidos tenham dito posteriormente que não acreditavam que houvesse uma ameaça da Rússia usar armas nucleares apesar de uma escalada na retórica de Moscou.

Yermakov no sábado foi citado como tendo dito que as principais potências nucleares devem aderir à lógica consagrada em documentos que criaram em conjunto.

Ele estava se referindo a uma declaração conjunta publicada em janeiro pela Rússia, China, Reino Unido, Estados Unidos e França, na qual os cinco países –que são os membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas– concordaram que a maior disseminação de armas nucleares e uma guerra nuclear deveria ser evitada.

“Os riscos da guerra nuclear, que nunca deve ser desencadeada, devem ser reduzidos ao mínimo, em particular através da prevenção de qualquer conflito armado entre as potências nucleares”, citou Yermakov no sábado. “A Rússia segue claramente este entendimento.”

(Reportagem de Hugh Lawson)

Mais Recentes da CNN