Rússia proíbe que Joe Biden e secretário de Estado dos EUA entrem no país

Mais de 960 cidadãos norte-americanos estão entre os alvos da medida

Medida tem caráter simbólico, mas é novo episódio na piora na relação entre Rússia e EUA
Medida tem caráter simbólico, mas é novo episódio na piora na relação entre Rússia e EUA Leah Millis/Reuters

David Evansda Reuters

Ouvir notícia

A Rússia anunciou neste sábado (21) que proibiu a entrada no país de 963 norte-americanos, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, o secretário de Estado, Antony Blinken, e o chefe da CIA, William Burns.

As proibições de viagem têm apenas um impacto simbólico, mas fazem parte de uma constante espiral descendente nas relações da Rússia com os Estados Unidos e seus aliados desde a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro.

Neste sábado, o presidente Biden sancionou um projeto de lei que garante uma ajuda financeira de US$ 40 bilhões para a Ucrânia, reforçando o envio de armas e de ajuda humanitária ao país.

O presidente dos Estados Unidos atualmente está viajando pela Ásia, e se encontrou com o presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol. Ele também deve visitar o Japão.

Mais Recentes da CNN