Russos avançam apenas em áreas que destruíram, diz oficial de Luhansk

Intensos tiroteios ocorreram neste fim de semana em cidades atingidas por bombardeios de artilharia

Carro capotado é visto no pátio de um prédio de apartamentos após o bombardeio de tropas russas em Sievierodonetsk, na região de Luhansk, leste da Ucrânia
Carro capotado é visto no pátio de um prédio de apartamentos após o bombardeio de tropas russas em Sievierodonetsk, na região de Luhansk, leste da Ucrânia Albert Koshelev/ Ukrinform/Future Publishing via Getty Images

Tim ListerEliza Mackintoshda CNN

Ouvir notícia

As forças russas estão pressionando intensamente as linhas de frente em Luhansk, no leste da Ucrânia, como parte de sua ofensiva renovada. Os combates ocorreram durante o fim de semana, com intensos tiroteios após ruas e cidades serem atingidas por bombardeios de artilharia.

Os militares ucranianos disseram no último domingo (2) que continuam a reforçar a região em meio a ataques pesados ​​e à medida que a Rússia continua sua investida de duas semanas no centro industrial do país, despejando mais armas e equipamentos militares.

Serhiy Hayday, chefe da administração militar da região de Luhansk, declarou em entrevista à mídia ucraniana nesta segunda-feira (2) que as forças russas estavam devastando vilarejos ao longo da linha de frente da região e, em seguida, avançando.

“Estrategicamente falando, o único lugar em que eles [russos] podem avançar são as áreas que destruíram completamente. Então, eles destruíram completamente Novotoshkivka, não havia lugar para manter a defesa, e eles a ocuparam”, disse Hayday.

Novotoshkivka caiu em 25 de abril, segundo autoridades ucranianas.

Essa estratégia de terra arrasada forçou as forças militares ucranianas a recuar em alguns lugares, para evitar perdas significativas de vidas.

“Em Kreminna, entendemos que se apenas mantivéssemos a terra, os meninos morreriam e não haveria nenhum dano ao inimigo, então nos reagrupamos e partimos”, disse Hayday.

Kreminna foi abandonada em meados de abril pelas forças ucranianas. Hayday também reconheceu que a maior parte da cidade de Rubizhne estava agora em mãos russas.

“Rubizhne foi destruído muito mal, mas não se pode dizer que eles ocuparam completamente a cidade, porque há linhas de defesa nos arredores e nossos caras não apenas mantêm a defesa lá, mas também prejudicam constantemente o inimigo”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN