Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Secretário de Estado dos EUA diz que Putin não pode destruir a ordem internacional

    Em reunião do Conselho de Segurança da ONU, Antony Blinken afirmou que tentativas de anexação de territórios pela Rússia representam uma "escalada perigosa" da guerra

    O secretário de Estado Antony J. Blinken ouve o secretário-geral das Nações Unidas António Guterres fala durante o Conselho de Segurança das Nações Unidas na sede das Nações Unidas para discutir o conflito na Ucrânia em 22 de setembro de 2022 Na cidade de Nova York
    O secretário de Estado Antony J. Blinken ouve o secretário-geral das Nações Unidas António Guterres fala durante o Conselho de Segurança das Nações Unidas na sede das Nações Unidas para discutir o conflito na Ucrânia em 22 de setembro de 2022 Na cidade de Nova York Michael M. Santiago/Getty Images

    Tiago Tortellada CNN em São Paulo

    O Secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, afirmou nesta quinta-feira (22) que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, não pode “destruir” a ordem internacional e que as tentativas de anexação de territórios ucranianos é uma “escalada perigosa” da guerra.

    “A ordem internacional que nos reunimos aqui para defender está sendo destruída diante de nossos olhos. Não podemos deixar o presidente Putin não ser responsabilizado”, disse o secretário.

    A fala aconteceu durante reunião do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), um dia após o chefe de Estado russo anunciar mobilização parcial da população e ameaçar utilizar armas nucleares táticas.

    Blinken também pontuou que os membros do Conselho devem mandar uma mensagem clara de que as “ameaças nucleares” russas devem cessar imediatamente.

    Na abertura do encontro entre os líderes mundiais, o secretário-geral António Guterres alertou que a ideia de um conflito com armas desse tipo é “totalmente inaceitável” e que a situação ao redor da usina de Zaporizhzhia causa grande preocupação.

    Após pontuar que a guerra não tem sentido, ele observou que “qualquer anexação de um território por ameaça ou uso da força viola a carta da ONU”.