Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Sinal da CNN Internacional é bloqueado na China durante matéria sobre tenista

    Repórter da CNN falava sobre a contínua controvérsia em torno da estrela do tênis chinês Peng Shuai

    Aditi SangalSelina Wangda CNN

    O sinal da CNN Internacional pareceu ser brevemente bloqueado na China quando Selina Wang, da CNN, informou sobre a contínua controvérsia em torno da estrela do tênis chinês Peng Shuai.

    No sábado (5), o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, se encontrou com a ex-atleta olímpica, que tem estado no centro das preocupações internacionais depois que ela alegou ter sido pressionada a fazer sexo por um alto funcionário aposentado do Partido Comunista Chinês – uma alegação explosiva que ela parece se retratar.

    Kirsty Coventry, membro do COI e ex-presidente da Comissão de Atletas, também esteve presente na reunião, segundo o COI. Não está claro se Peng estava acompanhada por alguma autoridade chinesa.

    São muitas as perguntas sobre censura e coerção estatal: esta não é a primeira vez que a nação asiática bloqueou as reportagens da CNN – tanto sobre Peng Shuai e suas alegações quanto questões mais amplas consideradas sensíveis pela liderança chinesa.

    As barras multicoloridas também apareceram nos feeds de TV da China, pois a rede informou anteriormente sobre as alegações quando foram feitas pela primeira vez, relata Wang, acrescentando que o post de mídia social de Peng que continha a alegação foi removido rapidamente junto com todos os vestígios de sua acusação. A própria tenista ficou em silêncio, acrescentou a repórter.

    O governo chinês não reconheceu as alegações de agressão sexual e nenhum inquérito foi anunciado, mas o Ministério das Relações Exteriores disse esperar que “as especulações maliciosas sobre ela parem”, informou Wang.

    Peng também disse ao site independente francês de notícias esportivas L’Équipe em uma entrevista em Pequim no domingo (6) que ela “nunca desapareceu” dos olhos do público e disse que tantas pessoas entraram em contato que “era simplesmente impossível responder a tantas mensagens”.

    Enquanto o jornalista do L’Equipe Marc Ventouillac disse que “não sentiu durante a entrevista nenhuma censura” e que Peng estava relaxada e “rindo” ao falar sobre esportes, ele disse à CNN que sua impressão era que Peng foi “cautelosa” quando ele perguntou sobre as alegações de agressão sexual.