Sudão sofre tentativa de golpe de estado, dizem autoridades

Golpe frustrado teria sido planejado por militares e civis apoiadores do presidente deposto Omar al-Bashir, disse primeiro-ministro sudanês

Primeiro-ministro do Sudão, Abdalla Hamdok, fala sobre tentativa de golpe de estado no país
Primeiro-ministro do Sudão, Abdalla Hamdok, fala sobre tentativa de golpe de estado no país Reprodução/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

Autoridades sudanesas disseram ter frustrado uma tentativa de golpe de estado nesta terça-feira (21).

Os autores seriam apoiadores do presidente deposto Omar al-Bashir, que teria tentado, sem obter êxito, minar a revolução que o tirou do poder em 2019 e iniciou uma transição para a democracia no país.

A tentativa de golpe foi planejada por pessoas dentro e fora das forças militares, levando às primeiras prisões dos que estavam no meio de tal complô, disse o primeiro-ministro Abdalla Hamdok em uma declaração televisionada.

Em nota, as forças armadas do Sudão afirmaram que 21 oficiais e um “número” de soldados foram presos por serem associados ao golpe. Novas buscas ainda estão sendo realizadas.

O golpe havia sido precedido por tentativas de semear a insegurança, especialmente no leste do Sudão, disse ele.

“O que aconteceu é um golpe orquestrado por facções dentro e fora das forças armadas, e isto é uma extensão das tentativas dos remanescentes, desde a queda do antigo regime, de abortar a transição democrática civil”, disse Hamdok.

“Esta tentativa foi precedida por diversos preparativos feito por delinquentes nas cidades, e pela exploração da situação no leste do país, pelo fechamento de estradas e portos nacionais e pelo bloqueio da produção de petróleo”.

A tentativa de golpe aponta para o difícil caminho enfrentado por um governo que reorienta o Sudão desde 2019.

Houve alívio da dívida com o Ocidente e medidas para normalizar os laços com Israel, tudo enquanto o governo lutava contra uma grave crise econômica e enfrentava os desafios daqueles ainda leais a Bashir.

Um órgão governante conhecido como Conselho Soberano tem administrado o Sudão sob um frágil acordo de compartilhamento de poder entre militares e civis desde a derrubada de Bashir, um islamista evitado pelo Ocidente que presidiu o Sudão por quase três décadas.

Novas eleições são esperadas para 2024.

Tentativa de golpe não é novidade

Não foi o primeiro desafio para as autoridades de transição.

Elas dizem que foram desmascaradas ou detectadas outras tentativas de golpe anteriores ligadas a facções leais a Bashir, que foi deposto pelo exército após meses de protestos contra seu governo.

Os envolvidos no último esforço seriam responsabilizados, disse Hamdok na terça-feira.

“Pela primeira vez, há pessoas que foram presas durante a implementação do golpe”, disse ele.

Mais Recentes da CNN