Surto de Ômicron antes do Natal leva a recorde de casos de Covid no Reino Unido

Nos últimos sete dias, já foram registrados 678.165 infecções por Covid-19 no país

Ambulância em frente a hospital londrino em meio à disseminação da Covid-19 no Reino Unido
Ambulância em frente a hospital londrino em meio à disseminação da Covid-19 no Reino Unido 12/12/2021 REUTERS/May James

James Daveyda Reuters

Ouvir notícia

Com a variante Ômicron em todo o país, o Reino Unido registrou número recorde de novos casos de coronavírus nesta quinta-feira (23). São 119.789 confirmações, contra 106.122 na quarta-feira (22).

Muitas indústrias e redes de transporte estão enfrentando falta de funcionários, já que os trabalhadores doentes estão isolados, enquanto hospitais alertam para o risco na segurança dos pacientes.

O rápido avanço da Ômicron gerou um aumento no número de casos no Reino Unido nos últimos sete dias, de 678.165 novas confirmações, mostraram dados do governo.

Enquanto o governo conservador do primeiro-ministro Boris Johnson luta para limitar o impacto econômico do último surto de Covid-19, o governante disse na quarta-feira que estava reduzindo o período legal de auto-isolamento na Inglaterra de 10 para sete dias.

Essa mudança, que visa fazer com que as pessoas voltem ao trabalho mais cedo, se aplica a pessoas que tiveram que se isolar após contrair Covid-19, mas que, após os sete dias de isolamento, tiveram testes negativos em dois dias consecutivos.

Johnson, que apostou bastante capital político no Natal de 2021 como sendo “consideravelmente melhor” do que no ano anterior, descartou, na terça-feira (21), mais restrições antes do dia 25, dizendo que havia incertezas sobre a gravidade da Ômicron e as taxas de hospitalização.

No entanto, ele não descartou novas medidas para conter a propagação da Covid-19 após o dia de Natal, que cai no sábado, se a situação se agravar.

Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte já anunciaram mais restrições pós-Natal.

Mais Recentes da CNN