Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Taiwan diz que China está ‘criando terror’ após denúncias de espionagem

    A China vê Taiwan como seu território soberano e recentemente intensificou uma campanha para fazer valer sua reivindicação, incluindo o envio de caças a jato

    A China vê Taiwan como seu território soberano e recentemente intensificou uma campanha para fazer valer sua reivindicação
    A China vê Taiwan como seu território soberano e recentemente intensificou uma campanha para fazer valer sua reivindicação Foto: Presidência de Taiwan/ Facebook

    Ben Blanchard,

    da Reuters

    Desde a noite de domingo (11), a televisão estatal chinesa tem mostrado o que diz ser espiões taiwaneses detidos que operavam na China e teriam confessado seus crimes. Taiwan classifica as denúncias como uma armadilha e outra razão de risco para que seus residentes não visitem a China continental.

    A China vê Taiwan como seu território soberano e recentemente intensificou uma campanha para fazer valer sua reivindicação, incluindo o envio de caças a jato para perto da ilha.

    Em resposta a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, disse que a ilha não provocará, mas se defenderá.

    Leia também:
    Banco Mundial aprova ajuda de US$ 12 bi a países em desenvolvimento na pandemia

    Recebo mais cartas de ódio que meu marido, diz segunda-dama da Pensilvânia

    A China, sob uma campanha chamada Thunder-2020, disse ter desvendado centenas de casos orquestrados pelas forças de inteligência de Taiwan para “se infiltrar e causar danos” e estabelecer uma rede de espiões, disse a televisão estatal.

    O Global Times, um tabloide chinês amplamente lido e dirigido pelo Diário do Povo, oficial do Partido Comunista, disse na quarta-feira que as revelações eram um aviso às “forças separatistas de Taiwan”.

    Taiwan diz que a China está armando e prendendo essas pessoas, e que colocá-las na televisão para confessar crimes antes de irem a julgamento é uma violação grave do processo legal adequado, algo que grupos de direitos humanos há muito criticam Pequim por fazer.

    Em declarações a repórteres na terça-feira, o primeiro-ministro de Taiwan, Su Tseng-chang, disse que a China está espalhando calúnias e “criando terror”.

    Questionado sobre a espionagem de Taiwan na China – os dois lados há muito se acusam de administrar redes de espionagem – Su declarou que Taiwan não fazia mais isso e nem precisava.

    “A China é um país autoritário e sempre causa esse tipo de infiltração e danos, então acha que os outros também o fazem. Eles não sabem que Taiwan é democrático e aberto há anos.”

    O governo de Taiwan apontou que diz serem óbvias imprecisões em algumas das acusações da China, incluindo que um dos espiões acusados ??trabalhou anteriormente para um ex-presidente do Partido Democrático Progressivo (DPP), Cho Jung-tai. Cho, porém, diz que não conhecia o homem.

    Não foi possível entrar em contato com nenhum dos espiões suspeitos para comentar, e não está claro se eles tiveram permissão para representação legal.

    O Escritório de Assuntos de Taiwan da China não respondeu a um pedido para comentar o caso.

    Tópicos

    Tópicos