Talibã apreende 1ª cidade afegã a ter tropas dos EUA retiradas

Em Kunduz, o Ministério da Defesa afegão disse que os comandos retomaram o controle da Praça General Razi

Foto: Britta Pedersen/dpa-Zentralbild/ZB/Getty Images

Jennifer Hauser, Tara John and Nick Paton Walsh, da CNN

Ouvir notícia

O Talibã assumiu o controle de Kunduz no norte do Afeganistão, disseram autoridades locais à CNN no domingo (8).

É a primeira grande cidade a cair nas mãos do grupo insurgente desde que eles começaram sua ofensiva em maio, o que representa um grande golpe para o governo afegão.

Kunduz é a terceira das quatro capitais de província que o Talibã conquistou nos últimos dias, uma série de vitórias que vêm à medida que forças estrangeiras, lideradas pelos Estados Unidos, completam sua retirada do Afeganistão. Com uma população de 375.000 habitantes, Kunduz é um importante prêmio militar.

No domingo, as forças do Talibã invadiram principalmente a capital provincial de Sar-e-Pul, também no norte do país, marcando outra derrota para o governo em meio a uma série de avanços sem precedentes da insurgência em sua guerra de 20 anos.

Um membro do conselho provincial de Sar-e-pul disse à CNN que a cidade havia caído nas mãos do Talibã e que uma base militar remanescente contendo forças de segurança afegãs estava cercada por combatentes do Talibã.

O Talibã disse em um comunicado que havia tomado a cidade. A CNN não conseguiu verificar de forma independente as afirmações do grupo.

Em Kunduz, o Ministério da Defesa afegão disse que os comandos retomaram o controle da Praça General Raziq da cidade e da sede da Rádio e TV Nacional Kunduz, enquanto os combates continuam na província.

No início do dia, um membro do conselho provincial de Kunduz confirmou à CNN que a maior parte da capital provincial havia caído nas mãos do Talibã.

O Talibã disse que todas as partes da cidade estão sob seu controle, acrescentando que também apreendeu veículos blindados, armas e equipamento militar. A CNN não conseguiu confirmar de forma independente as afirmações do Talibã.

Pesados combates entre o Talibã e as forças de segurança afegãs na cidade no sábado mataram pelo menos 11 civis e feriram 40, de acordo com o diretor de saúde de Kunduz, Dr. Ehsanullah Fazli.

O membro do conselho provincial Gholam Rabani Rabani disse à CNN que ambos os lados sofreram baixas no sábado durante os combates nos arredores da cidade, e que o número total de vítimas ainda não está claro.

O Talibã capturou brevemente Kunduz em 2015 e novamente em 2016, antes de ser empurrado pelas forças de segurança afegãs.

Descida para a violência

A cidade de Zaranj, perto da fronteira com o Irã, se tornou a primeira capital provincial a cair no controle do Taleban na sexta-feira. No dia seguinte, os insurgentes tomaram Sheberghan, capital da província de Jawzjan, perto da fronteira com o Turcomenistão.

A rápida queda do país na violência após a retirada das tropas dos EUA e da OTAN em apoio ao governo chocou muitos. Há temores de que até a capital nacional, Cabul, possa cair.

A Embaixada dos EUA em Cabul criticou a ofensiva do Taleban nas cidades afegãs no domingo, dizendo que suas ações para “impor à força seu governo são inaceitáveis e contradizem sua afirmação de apoiar um acordo negociado no processo de paz de Doha. Eles demonstram desrespeito arbitrário pelo bem-estar e direitos dos civis e agravará a crise humanitária neste país. “

Assassinatos de críticos do Taleban aconteceram paralelamente aos combates . Dezenas de ativistas sociais, jornalistas, burocratas, juízes e figuras públicas que lutam para sustentar uma administração islâmica liberal foram alvejados e mortos por combatentes do Taleban em uma tentativa de silenciar vozes dissidentes no país dilacerado pela guerra, informou a Reuters .

Em Cabul, os atacantes do Taleban mataram na sexta-feira Dawa Khan Menapal, diretor do centro de mídia e informações do governo afegão. Na terça-feira, o governador do distrito de Sayed Abad em Maidan Wardak, Amir Mohammad Malikzai, também foi morto por combatentes do Taleban em Cabul, disseram autoridades do governo à CNN.

No sábado, a Embaixada dos Estados Unidos em Cabul exortou os cidadãos americanos a deixar o país “imediatamente usando as opções de voos comerciais disponíveis”.

“Dadas as condições de segurança e o número reduzido de funcionários, a capacidade da embaixada de ajudar os cidadãos americanos no Afeganistão é extremamente limitada, mesmo dentro de Cabul”, disse a embaixada em um comunicado.

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido atualizou seu conselho na sexta-feira, dizendo aos seus cidadãos para deixar o Afeganistão por meios comerciais.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).
 

Mais Recentes da CNN