Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Telescópio Hubble captura “raios” misteriosos deslizando pelos anéis de saturno

    A primeira evidência do fenômeno foi capturada pela missão Voyager da Nasa na década de 1980; desta vez, os pesquisadores esperam finalmente resolver o mistério

    Uma imagem capturada pelo Telescópio Espacial Hubble da Nasa marca o início da "temporada dos raios" de Saturno, com o aparecimento de dois raios borrados (à esquerda) no anel B.
    Uma imagem capturada pelo Telescópio Espacial Hubble da Nasa marca o início da "temporada dos raios" de Saturno, com o aparecimento de dois raios borrados (à esquerda) no anel B. STScI/Nasa/ESA/A. Simon/A. Pagan

    Jackie Wattlesda CNN

    O Telescópio Espacial Hubble capturou imagens de um show misterioso acontecendo nos anéis de Saturno – “raios” fantasmagóricos e fugazes que parecem se mover ao longo dos anéis do planeta. E os cientistas ainda não conseguem explicar por que o fenômeno acontece.

    O retorno dos raios é um dos primeiros sinais de que Saturno está entrando em uma nova temporada ao se aproximar do equinócio de outono de seu hemisfério norte, que deve ocorrer em 6 de maio de 2025, pela primeira vez em cerca de 15 anos.

    Os cientistas há muito sabem sobre os raios, que parecem aparições patinando ao longo dos anéis de Saturno e podem ser vistos ao redor do planeta durante o equinócio. A primeira evidência foi capturada pela missão Voyager da Nasa na década de 1980.

    Exatamente o que causa esse evento ainda escapa aos cientistas. Mas desta vez, os pesquisadores da Nasa esperam finalmente resolver o mistério.

    O Hubble continuará observando os raios, que devem ficar mais proeminentes antes do equinócio de 2025, fornecendo mais dados sobre as intrigantes ocorrências.

    “O suspeito culpado pelos raios é o campo magnético variável do planeta”, de acordo com um comunicado de imprensa da Nasa. “Campos magnéticos planetários interagem com o vento solar, criando um ambiente eletricamente carregado.”

    “Na Terra, quando essas partículas carregadas atingem a atmosfera, isso é visível no hemisfério norte como a aurora boreal.”

    Essencialmente, os cientistas suspeitam que partículas minúsculas podem ser carregadas por essa atividade, fazendo com que subam brevemente mais alto do que o material circundante e criando uma mancha aparente.

    Sete imagens do Telescópio Espacial Hubble, cada uma tirada com cerca de quatro minutos de intervalo, foram unidas para mostrar características de “raios” girando em torno de Saturno. / Nasa

    Os cientistas esperam que os próximos dados do Hubble provem ou refutem essa teoria de uma vez por todas, com base nas observações coletadas pela Voyager e pela Cassini, a sonda enviada a Saturno que observou os fenômenos dos raios durante sua última aparição no final dos anos 2000.

    “Apesar de anos de excelentes observações da missão Cassini, o início e a duração precisos da temporada de raios ainda são imprevisíveis, como prever a primeira tempestade durante a temporada de furacões”, disse Amy Simon, cientista planetária sênior da Nasa que chefia o programa Hubble Outer Planet Atmospheres Legacy, em comunicado.

    Os raios só são visíveis por volta do equinócio de Saturno quando os anéis do planeta estão inclinados em direção ao sol, de acordo com a Nasa. As marcações podem aparecer como pontos brilhantes de luz ou como manchas pretas, dependendo do ponto de vista do instrumento de visualização.

    É possível que outros planetas com anéis experimentem eventos semelhantes, embora até agora só tenham sido observados nos anéis densamente compactados e mais proeminentes de Saturno.

    “É um fascinante truque de mágica da natureza que só vemos em Saturno – pelo menos por enquanto”, disse Simon.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original