Tempestade tropical Eta volta a tocar solo na Flórida, nos EUA

Estado segue em alerta para inundações repentinas; cerca de 21 mil pessoas estão sem energia elétrica na região

Ouvir notícia

 

A tempestade tropical Eta tocou solo ao sul de Cedar Key, no estado norte-americano da Flórida, na madrugada desta quinta-feira (12), informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, em inglês).

Neste momento, o fenômeno registra ventos de 85 km/h. A Flórida está em alerta para inundações repentinas.

Assista e leia também:
Ciclone, tufão, furacão, tempestade: a diferença entre esses fenômenos naturais
Eta se fortalece novamente e vira furacão de categoria 1 antes de atingir os EUA
EUA: Tempestade tropical Eta atinge sul da Flórida

Vista de satélite do furacão Eta
Tempestade tropical Eta pode levar muitos danos a países da América Latina
Foto: National Hurricane Center (NHC)

 

Nessa quarta (11), durante grande parte do dia, o oeste do estado teve ventos com força de tempestade tropical e chuvas intensas. Em áreas como São Petersburgo, Sarasota e Madeira Beach, telhados foram arrancados e algumas ruas ficaram inundadas.

Cerca de 21 mil pessoas estão sem energia elétrica na região, segundo o PowerOutage.US, site que monitora quedas de energia pelo país.

Quarta vez que Eta toca o solo

O Eta ganhou força rapidamente até se transformar em um furacão na manhã de quarta-feira, mas logo se enfraqueceu e voltou a ser uma tempestade tropical. 

Esta é a quarta vez que o fenômeno toca o solo. A primeira vez foi na semana passada, quando atingiu a América Central como um furacão de categoria 4 (ventos de 210 km/h a 249 km/h). Em seguida, Cuba e depois a ilha de Lower Matecumbe Key, na Flórida, na noite de domingo.

A expectativa é que a tempestade comece a se dissipar sobre o Oceano Atlântico durante o fim de semana, de acordo com o NHC.

O período de furacões no Atlântico em 2020 tem sido especialmente ativo. Até agora, foram registradas 29 tempestades, um recorde em apenas uma temporada.

(Texto traduzido. Leia o original em espanhol.)

Mais Recentes da CNN