Titanossauro encontrado na Argentina pode ser o mais antigo já descoberto

Fóssil localizado no sul da província de Neuquén indica que espécie viveu há 140 milhões de anos

Foto: Agencia CTyS da Universidad Nacional de La Matanza

Da Reuters

Ouvir notícia

 

Cientistas afirmaram nessa segunda-feira (1) que um fóssil de titanossauro encontrado na Patagônia argentina pode ser o mais antigo da espécie descoberto até agora. Segundo os pesquisadores, os ossos são de um dinossauro chamado Ninjatitan zapatai, que viveu há 140 milhões de anos, durante o período Cretáceo. 

“É o registro mais antigo conhecido, não apenas da Argentina, mas do mundo todo”, disse à Reuters o principal autor do estudo, Pablo Gallina, pesquisador do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas da Argentina (CONICET).

“Titanossauros são descobertos e registrados em vários lados do mundo, mas os registros mais antigos conhecidos eram mais modernos do que essa descoberta”, acrescentou Gallina. 

 

Os restos do titanossauro foram encontrados em uma escavação iniciada em 2014, ao sul da cidade de Neuquén. Os pesquisadores disseram que a descoberta indica que a espécie viveu há mais tempo do que se pensava anteriormente.

Com um comprimento de cerca de 20 metros, o Ninjatitan era um grande dinossauro, mas muito menor do que os titanossauros posteriores, como o Argentinosaurus, que alcançou um comprimento de cerca de 35 metros. 

Ainda de acordo com os pesquisadores, a presença de um titanossauro tão antigo na Patagônia também reforça a ideia de que eles se originaram no hemisfério sul.

Texto traduzido. Leia aqui a versão em inglês.

Mais Recentes da CNN