Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Trump desafia julgamento por fraude em Nova York e juiz ameaça interromper depoimento

    Juiz do caso chegou a pedir que o advogado de Donald Trump explicasse as regras de um tribunal para seu cliente

    Ilustração do tribunal mostra Trump sendo questionado durante julgamento de fraude civil da Organização Trump
    Ilustração do tribunal mostra Trump sendo questionado durante julgamento de fraude civil da Organização Trump 06/11/2023REUTERS/Jane Rosenberg

    Jack QueenLuc Cohenda Reuters

    Nova York

    Donald Trump se queixou de “tratamento injusto” após uma performance desafiadora no banco das testemunhas nesta segunda-feira (6).

    A postura do ex-presidente dos Estados Unidos levou o juiz que supervisiona seu julgamento de fraude comercial civil em Nova York a ameaçar interromper seu depoimento.

    Ao ser questionado sobre as práticas contábeis de sua empresa, Trump entrou em conflito repetidamente com o juiz Arthur Engoron, que avalia a possibilidade de impor centenas de milhões de dólares em multas e outras penalidades que poderiam prejudicar o império imobiliário do ex-presidente.

    Engoron advertiu o possível candidato à presidência dos EUA em 2024 que poderia retirá-lo do banco das testemunhas, caso ele não respondesse diretamente às perguntas. O juiz questionou o advogado de Trump, Christopher Kise: “Sr. Kise, pode controlar seu cliente? Isso não é um comício político, mas uma sala de audiências”.

    O ex-presidente reconheceu que sua empresa não forneceu estimativas precisas do valor de torres de apartamentos, campos de golfe e outros ativos. Os promotores estaduais de Nova York disseram que esses valores foram aumentados para obter melhores condições de financiamento, e Engoron já decidiu que eles foram fraudulentos.

    Mas Trump disse que muitos deles, como sua propriedade em Mar-a-Lago e o campo de golfe Doral, na Flórida, foram subvalorizados e os bancos não levaram as avaliações a sério.

    O texto do processo alega que as estimativas enganaram os credores e as seguradoras, exagerando sua riqueza em 2 bilhões de dólares (cerca de R$ 9,8 bilhões, na cotação atual).

    Trump tem chamado o caso de uma “caça às bruxas” e acusado Engoron e a procuradora-geral de Nova York, Letitia James, de parcialidade política. Ele manteve essas queixas no banco das testemunhas, onde acusou as autoridades legais de prestar atenção indevida aos seus negócios depois que ele se tornou presidente.

    “Tenho certeza de que o juiz decidirá contra mim, porque ele sempre decide contra mim”, disse.

    Veja também: Trump acusa governo Biden de financiar ataques a Israel

    “Explique as regras”

    Em um determinado momento, quando Trump estava depondo, o juiz do processo pediu ao advogado do ex-ocupante da Casa Branca que levasse seu cliente para o fundo da sala de audiências e “explicasse as regras” para ele.

    “O ex-presidente dos Estados Unidos, que em breve será novamente presidente, entende as regras”, respondeu Kise.

    Ao contrário dos quatro processos criminais que Trump enfrenta, o julgamento civil não ameaça colocá-lo na prisão enquanto ele prepara uma nova candidatura presidencial.

    Trump tem procurado tirar proveito dos processos judiciais, usando-os para solicitar doações de campanha e argumentar que ele está sendo alvo de suas opiniões políticas.