Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Trump faz comício no Bronx na tentativa de conquistar eleitores hispânicos e negros

    Área de Nova York é conhecida como um reduto do partido Democrata, com vitória expressiva de Joe Biden em 2020

    Ex-presidente Donald Trump em evento de campanha
    Ex-presidente Donald Trump em evento de campanha 01/05/2024REUTERS/Brendan McDermid

    Kate SullivanHarry Entenda CNN

    Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, faz um comício na noite desta nesta quinta-feira (23) no Bronx, em Nova York, enquanto sua campanha busca conquistar eleitores hispânicos e negros antes das eleições de novembro.

    O evento acontece em um dos condados mais democratas do país, dias antes dos argumentos finais no julgamento criminal contra o republicano em Nova York. Ele enfrenta 34 acusações criminais, das quais se declarou inocente.

    O julgamento manteve o ex-presidente em Nova York durante grande parte das últimas seis semanas, mas o evento desta quinta-feira em Crotona Park, no sul do Bronx, será o primeiro grande comício de campanha dele no estado desde sua primeira candidatura presidencial, em 2016.

    Desde o início do julgamento, em meados de abril, Trump visitou uma bodega, que foi palco de um esfaqueamento fatal em 2022, um canteiro de obras e o corpo de bombeiros em Manhattan.

    Um integrante da campanha de Trump disse à CNN que vários fatores influenciaram a decisão de realizar o comício no Bronx, incluindo a longa história de vida e trabalho do empresário em Nova York e os seus esforços para conquistar os eleitores de minorias.

    A fonte destacou que a proximidade da área com o julgamento também foi levada em consideração, assim como o desejo do ex-presidente de “desafiar o status quo” em um estado que há muito tempo vota majoritariamente nos democratas.

    Donald Trump insistiu que tem chance de vencer em Nova York, algo que um candidato presidencial republicano não consegue desde 1984. O Bronx é um reduto democrata, onde o ex-presidente perdeu por cerca de 68 pontos percentuais para Joe Biden nas eleições de 2020.

    Essa margem, no entanto, caiu em relação a quatro anos antes, quando Hillary Clinton venceu no condado por 79 pontos percentuais.

    A melhoria de desempenho de Trump foi ainda maior no sul do Bronx, onde decorre o comício desta quinta-feira. Biden venceu o distrito eleitoral ao redor do Parque Crotona por 69 pontos. Clinton venceu o mesmo distrito por mais de 90 pontos em 2016.

    Os resultados na área em 2020 refletiram os de outras áreas onde os eleitores hispânicos constituem uma parte substancial do eleitorado. Os residentes no sul do Bronx são principalmente hispânicos (64%) e negros (31%), de acordo com o US Census Bureau.

    Pesquisas indicam melhora de desempenho

    As pesquisas eleitorais deste ano mostram que Trump pode ter um desempenho ainda melhor entre os eleitores hispânicos e negros do que há quatro anos.

    Levantamentos realizados desde o início de abril mostram que o índice de Biden entre esses eleitores caiu dois dígitos em comparação com pesquisas do mesmo período em 2020.

    Esse seria um dos motivos pelos quais a campanha de Biden lançou dois novos anúncios nesta quinta-feira, destacando o que chamou de “longo histórico de fracassos e promessas quebradas de Trump” aos negros americanos.

    Os anúncios apontam que:

    • o ex-presidente foi processado por discriminação habitacional na década de 1970 e acusado de discriminar afro-americanos;
    • promoveu a teoria da conspiração racista de que o presidente Barack Obama não nasceu nos EUA;
    • pressionou pela pena de morte para cinco adolescentes de minorias que foram injustamente acusados e condenados por supostamente espancar e estuprar uma mulher no Central Park na década de 1980; e
    • “apoiou os violentos supremacistas brancos” em Charlottesville, Virgínia, em 2017.

    A campanha do republicano afirmou que os anúncios representavam uma tentativa de “distorcer os eleitores negros”.

    “Não devemos esquecer que foi Joe Biden a figura chave na aprovação da Lei Criminal de 1994, que prejudicou desproporcionalmente as comunidades negras através de leis de condenação severas e aumento das taxas de encarceramento”, disse Janiyah Thomas, diretora de comunicação social negra da campanha, em comunicado.

    “Além disso, não podemos ignorar que as políticas de Biden estão levando as famílias negras à pobreza e a torná-las menos seguras”, adicionou.

    Vários republicanos da Câmara de Nova York destacaram que não poderiam comparecer ao evento de Trump devido a mudanças no cronograma de votação da Câmara nesta quinta-feira.

    “Nova York está em jogo e todos planejamos estar lá para cumprimentá-lo e participar deste evento histórico. No entanto, o calendário da Câmara mudou e votaremos para proibir os imigrantes ilegais de votar nas eleições e para proteger o direito dos americanos à privacidade financeira”, afirmou a presidente da Conferência do Partido Republicano, Elise Stefanik, em declaração conjunta com outros sete legisladores.

    Stefanik é vista como candidata a integrar a chapa de Trump nas eleições.

    Os deputados democratas Alexandria Ocasio-Cortez e Ritchie Torres, que representam partes do Bronx, criticaram o comício do ex-presidente.

    Ocasio-Cortez, em entrevista ao NY1, chamou o caso de “tentativa de, creio, enganar alguns dos nossos aqui”, enquanto Torres afirmou ao The New York Times que Trump era “radioativo” no Bronx.

    A aproximação de Trump aos eleitores minoritários também ocorre num momento em que o ex-presidente fez dos receios sobre os migrantes ilegais um dos pilares da sua campanha.

    Ele tem feito regularmente alegações falsas ou enganosas sobre a imigração ilegal e utilizado linguagem desumanizante quando se refere aos imigrantes.

    *Kit Maher, da CNN, contribuiu para esta reportagem

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original