Trump pediu ao secretário da Geórgia para ‘encontrar’ 11.780 votos, diz Post

O Washington Post obteve uma gravação da conversa em que Trump repreendeu Raffensperger, tentou bajulá-lo e implorou-lhe para agir em seu benefício

CNN Brasil, em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente Trump pediu ao colega republicano Brad Raffensperger, secretário de Estado da Geórgia, que “encontrasse” votos suficientes para reverter sua derrota durante um telefonema extraordinário de uma hora no sábado (2).

O Washington Post obteve a gravação da conversa em que Trump repreendeu Raffensperger, tentou bajulá-lo, implorou para agir e ameaçou-o com vagas consequências criminais se o secretário de Estado se recusasse a prosseguir com o que chamou de “falsas alegações”. O presidente disse a certa altura que Raffensperger estava assumindo “um grande risco”.

Durante a ligação, Raffensperger e o conselheiro-geral de seu escritório rejeitaram as afirmações de Trump, explicando que o presidente está contando com teorias da conspiração e que a vitória do presidente eleito Joe Biden com 11.779 votos na Geórgia foi justa e precisa.

Leia também:

Papa pede consciência sobre o sofrimento dos outros a quem descumpre isolamento

Quatro senadores pedem ao Senado ratificação da eleição presidencial nos EUA

Essa ligação vem na esteira de esforços dispersos na tentativa de derrubar a vitória eleitoral de Biden, em um movimento liderado pelos principais republicanos determinados a explorar a crise de olho em ganhos políticos mais amplos.

“Não há nada de errado em dizer, você sabe, hum, que você recalculou”, disse Trump ao secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, de acordo com o Post, acrescentando mais tarde na ligação: “Tudo o que quero fazer é isso. Eu apenas queremos encontrar 11.780 votos, o que é um a mais do que nós. Porque ganhamos no estado.” 

Na época em que Trump estava trabalhando em Raffensperger, o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, exortou seus ex-colegas da Câmara a “revidar” em um tweet de sábado (2) à noite. Tanto Meadows quanto a advogada Cleta Mitchell e outros aliados republicanos de Trump também estariam na ligação. 

O vice-presidente Mike Pence – que procurou manter uma distância segura das afirmações e do comportamento mais inflamados de outros republicanos enquanto sutilmente os incitava quando lhe convinha – também recebeu bem o desafio dos republicanos no Congresso. Ele quer que os legisladores “apresentem evidências ao Congresso”, disse seu chefe de gabinete em um comunicado no sábado (2).

A ligação acontece um pouco antes da cerimônia de legitimação da vitória de Biden, em que ele encontrará o Congresso no Capitol Hill.

Em atualização

O atual presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca
Donald Trump, na Casa Branca
Foto: Hannah McKay – 24.nov.2020 / Reuters


 

Mais Recentes da CNN