Trump perde espaço no partido após invasão do Capitólio, diz ex-embaixador

Rubens Barbosa avaliou a situação do presidente dos Estados Unidos após manifestantes invadirem o Congresso americano nesta quarta-feira (6)

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Depois que manifestantes que apoiam o presidente Donald Trump e rejeitam a vitória de Joe Biden na eleição presidencial invadiram o Capitólio dos Estados Unidos, o republicano deve perder espaço dentro do seu partido. Esta é a avaliação do ex-embaixador do Brasil em Washington Rubens Barbosa.

“O presidente Trump teve uma narrativa coerente nos últimos anos. Ele queria continuar como líder do partido republicano, e construiu toda essa narrativa meio sonhadora de que ele ganhou a eleição, [mas] perdeu porque foi roubado”, disse. “Isso aí, do ponto de vista político, fazia sentido desde que não houvesse o que houve ontem”, afirmou Barbosa.

Assista e leia também:

Araújo condena invasão de manifestantes ao Congresso dos EUA e pede investigação

Líder democrata do Senado dos EUA pede remoção imediata de Trump da presidência

Facebook e Instagram manterão contas de Trump bloqueadas até a posse de Biden

Apoiadores de Trump saem do capitólio após invasão (06.jan.2021)
Apoiadores de Trump saem do capitólio após invasão (06.jan.2021)
Foto: CNN Brasil

Entretanto, o que aconteceu nesta quarta-feira (6) no Congresso americano mudou todo o cenário. “Com essa insurreição, o presidente Trump, que ontem mesmo estimulou essas manifestações, perdeu ou vai perder espaço dentro do partido republicano”, avaliou Barbosa. 

Na avaliação do ex-embaixador, deve haver ainda uma luta interna na sigla para a renovação da liderança do partido de oposição à gestão de Joe Biden. 

Especialista vê Trump isolado

O fundador do Instituto Ideia Big Data, Maurício Moura, acredita que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está mais isolado politicamente após manifestantes favoráveis a ele invadirem o Capitólio do país. 

“Mudou um pouco o rumo dos apoiadores do presidente Trump no partido republicano. Aqueles que estavam no Senado e na Câmara defendendo a revisão do processo eleitoral, que tivesse ocorrido algum tipo de fraude, foram ontem à noite muito mais brandos nos comentários”, analisou ele à CNN

A Casa Branca teve pedidos de demissão no alto escalão após os atos de violência no Capitólio. Stephanie Grisham e Rickie Niceta, duas das principais assessoras da primeira-dama Melania Trump, renunciaram nesta quarta-feira (6) após os incidentes violentos.

Durante a madrugada de quinta, também pediu demissão o vice-conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Matt Pottinger, segundo uma pessoa próxima confirmou à CNN americana.

Outros funcionários do alto escalão do governo americano consideram pedir demissão nas próximas horas, incluindo o conselheiro de segurança nacional Robert O’Brien, segundo fontes ligadas à Casa Branca.

‘Transição ordeira’

Após a confirmação formal da vitória de Joe Biden no Colégio Eleitoral, o presidente Trump disse que a decisão “representa o fim do maior primeiro mandato da história presidencial”.

“Embora eu discorde totalmente com o resultado da eleição e os fatos me confirmem, haverá uma transição organizada em 20 de janeiro”, disse Trump em um comunicado.

“Eu sempre disse que continuaríamos nossa luta para garantir que apenas os votos legais fossem contados. Embora isso represente o fim do maior primeiro mandato da história presidencial, é apenas o começo de nossa luta para tornar a América grande novamente”, disse Trump.

(Publicado por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN