Trump processa Hillary e Democratas por relacioná-lo à Rússia

Ex-presidente acusa o Comitê de Campanha Democrata de criar uma narrativa falsa para prejudicar sua campanha para presidência em 2016

A ex-secretária de Estado Hillary Clinton
A ex-secretária de Estado Hillary Clinton Foto: Democratic National Convention

Hannah RabinowitzKatelyn Polantzda CNN

Ouvir notícia

O ex-presidente Donald Trump entrou com uma ampla ação federal nesta quinta-feira (24) contra Hillary Clinton e pessoas supostamente envolvidas com pesquisas da oposição nas eleições de 2016, acusando-os de conspirar para difamar o então candidato presidencial republicano e prejudicar sua campanha.

O processo alega que Clinton e o Comitê Nacional Democrata criaram uma falsa ligação entre a campanha de Trump e a Rússia, desencadeando uma “investigação federal infundada” e um “frenesi da mídia”.

“Sob o disfarce de ‘pesquisa de oposição’, ‘análise de dados’ e outros estratagemas políticos, os réus tentaram de forma nefasta influenciar a confiança do público”, diz o processo. “Eles trabalharam juntos com um único propósito egoísta: difamar Donald Trump.”

Uma investigação criminal federal sobre os laços da campanha de Trump com a Rússia trouxe várias condenações de associados da campanha de Trump que mentiram sobre seus esforços políticos, estabelecendo o interesse da Rússia em ajudar Trump em 2016 e descobrindo que a campanha de Trump procurou capitalizar a interferência da Rússia naquela eleição.

O plano, de acordo com o processo movido por Trump, era criar e vazar uma série de relatórios falsos sobre conexões entre a campanha de Trump e a Rússia tanto para o FBI quanto para a mídia.

Ainda de acordo com o processo, quando esses relatórios se provaram falsos, aliados da campanha de Clinton hackearam a Trump Tower, o apartamento pessoal de Trump e a Casa Branca para manipular dados e apontar conversas clandestinas com russos, diz o processo.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN