Trump teria mais impacto se 2º debate fosse presencial, diz presidente do Ipsos

Na avaliação de Clifford Young, a partir de agora, os republicanos vão falar mais sobre a economia, e não sobre a Covid-19

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN nesta quinta-feira (8), Clifford Young, presidente do Instituto de Pesquisa de Opinião (Ipsos), em Washington, falou sobre a decisão do presidente Donald Trump de não participar do próximo debate presidencial – que seria de modo virtual, para evitar a disseminação do novo coronavírus. 

Na avaliação do especialista, os republicanos estão pensando em como vão virar o jogo, já que Trump está atrás nas principais pesquisas feitas após o primeiro debate entre o presidente e o democrata Joe Biden.

“E como vão fazer isso? Só por meio de debates presenciais. Ele teria muito mais impacto assim do que em um debate virtual”, afirmou ele. 

Assista e leia também:

Campanha de Trump propõe adiar debate após presidente rejeitar encontro virtual

Menos de uma semana após diagnóstico de Covid-19, Trump diz não estar contagioso

Donald Trump usa máscara após ter alta de hospital
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usa máscara após ter alta de hospital
Foto: Jonathan Ernst/Reuters (5.out.2020)

A decisão de mudar o formato de realização do encontro foi tomada após o diagnóstico positivo para o novo coronavírus de Trump, na sexta-feira (2). A comissão não consultou nem a campanha de Biden nem a de Trump antes de decidir pela alteração.

A partir de agora, segundo Young, a campanha do presidente Trump, que busca a reeleição, vai focar mais na economia, visando minimizar os impactos causados pelo novo coronavírus na sociedade americana.

Os democratas, por outro lado, de acordo com o especialista, vão atacar o atual governo, criticando, em especial, a gestão da crise de saúde pública. 

(Edição: Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN