Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Turquia se diz pronta para receber pacientes com câncer de hospital fechado de Gaza

    Unidade de saúde da Amizade Turco-Palestina fechou na última quarta-feira por falta de combustível e em meio a bombardeios de Israel

    Homem lamenta enquanto palestinos buscam por vítimas após ataque de Israel no campo de refugiados de Jabalia, em Gaza
    Homem lamenta enquanto palestinos buscam por vítimas após ataque de Israel no campo de refugiados de Jabalia, em Gaza 01/11/2023 REUTERS/Mohammed Al-Masri

    Tuvan Gumrukcuda Reuters

    Ancara

    A Turquia está pronta para receber pacientes com câncer do hospital da Amizade Turco-Palestina de Gaza, que ficou fora de serviço na quarta-feira (1º) após ficar sem combustível, disse o ministro da Saúde, Fahrettin Koca, nesta quinta-feira (2).

    Autoridades de saúde disseram na quarta que o hospital, que era o único hospital de tratamento de câncer na Faixa de Gaza, teve que fechar em meio ao bombardeio de Israel na região.

    Em uma declaração na rede social X, antigo Twitter, Koca disse que, se a coordenação necessária for feita, a Turquia está pronta para trazer pacientes com câncer e outros que precisam de ajuda de emergência para o país para continuar seu tratamento.

    “Estamos prontos para fornecer todo e qualquer apoio para continuar o tratamento de pacientes com câncer que foram dispensados à força do hospital devido à falta de recursos”, disse Koca.

    “Infelizmente, a comunidade internacional e as instituições relevantes não tomaram iniciativas suficientes para evitar os ataques ao hospital. Salvar a vida dos pacientes é agora um dever do qual não podemos nos esquivar”, acrescentou.

    Mais cedo, os Emirados Árabes Unidos disseram que planejavam tratar mil crianças palestinas de Gaza, sem dizer como elas sairiam da guerra para o estado do Golfo.

    Até o momento, a Turquia enviou ao Egito mais de 200 toneladas de ajuda humanitária e uma equipe médica para atender aos habitantes de Gaza, além de oferecer a instalação de um hospital de campanha próximo à passagem de fronteira de Rafah. O país condenou veementemente os ataques israelenses em Gaza e pediu um cessar-fogo.

    O Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, disse nesta quinta que quatro pacientes com câncer morreram porque o Hospital da Amizade Turco-Palestino, a única unidade de tratamento de câncer em Gaza, estava fora de serviço.

    Em uma atualização feita pela Medical Aid for Palestinians, o Dr. Marwan Abusada, chefe de cirurgia do Hospital Al-Shifa de Gaza, disse que a situação era “além de catastrófica” nos hospitais de Gaza.

    “Estamos quase sem combustível… As necessidades de consumo são imensas devido ao fluxo de feridos e às milhares de pessoas que estão deslocadas e buscando refúgio no hospital”, disse Abusada, acrescentando que o Al-Shifa tinha mais de 800 feridos, muito além de sua capacidade.

    Ele disse que muitas pessoas deslocadas estavam vivendo no pátio do hospital e dentro do prédio, incluindo seus corredores, e que havia uma grande chance de propagação de epidemias entre os pacientes e os deslocados.

    “As salas do pronto-socorro estão lotadas. Temos capacidade zero para tratar todos os feridos. A cada hora, dezenas de feridos chegam para receber tratamento. Estamos enfrentando uma verdadeira catástrofe”.

    VÍDEO – Benjamin Netanyahu: Cercamos a cidade de Gaza, nada nos impedirá