Twitter e Facebook rotulam publicações de Trump na véspera das eleições dos EUA

Publicações com insinuações de falsificações nas eleições via correio foram rotuladas pelos sites

Foto: Tom Brenner/Reuters (24.out.2020)

Elizabeth Culliford,

da Reuters

Ouvir notícia

Twitter e Facebook adicionaram na noite de segunda-feira (2) alertas em publicações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que alegaram que uma decisão da Suprema Corte do país sobre a votação por correio na Pensilvânia levaria a uma fraude generalizada e que era “muito perigosa”.

O Twitter ocultou a publicação de Trump, feita um dia antes da eleição presidencial dos EUA, colocando um aviso afirmando que o conteúdo era “questionável” e “poderia ser enganoso”.

Trump e seus aliados republicanos disseram repetidamente, sem evidências, que a votação pelo correio é propensa a fraudes, embora especialistas eleitorais digam que isso é raro nas eleições nos Estados Unidos. A publicação de Trump também disse que a decisão da Suprema Corte “induz à violência nas ruas”.

O Twitter também impediu que usuários compartilhassem ou respondessem à publicação, permitindo apenas que o compartilhamento fosse feito com comentários. A empresa também afirmou que a publicação não será recomendada por seus algoritmos.

Leia e ouça também:
O que são os delegados e como funciona o voto indireto nas eleições dos EUA
Waack: Biden ou Trump, quem vencer nos EUA terá que enfrentar a China
Podcast: Estados Unidos vão às urnas em eleição que não deve se esgotar com votação

Na publicação de Trump no Facebook, que foi compartilhada 4.200 vezes, a rede social adicionou um aviso de isenção de responsabilidade dizendo que votar pelo correio e pessoalmente tem um “histórico de confiabilidade” nos Estados Unidos e que a fraude eleitoral é extremamente rara.

O Facebook também rotulou um vídeo da Fox News publicado por Trump no qual ele falou sobre fraudes na Pensilvânia com a mesma mensagem.

Mais Recentes da CNN