Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ucrânia pede ajuda para proteger e reconstruir cidades atacadas pela Rússia

    Segundo presidente ucraniano, o país está sofrendo com uma forma destrutiva do uso da energia como arma

    Volodymyr Zelensky e Olaf Scholz em coletiva de imprensa em Berlim
    Volodymyr Zelensky e Olaf Scholz em coletiva de imprensa em Berlim Reuters

    Andreas RinkeOlena Harmashda Reuters

    Berlim

    A Ucrânia e seus aliados obtiveram apoio nesta terça-feira (11), em Berlim, para proteger as cidades ucranianas dos mísseis russos e pediram que empresas internacionais ajudem na reconstrução pós-guerra.

    Kiev espera que uma conferência de recuperação consolide suas credenciais como futuro membro da União Europeia.

    Além disso, a Ucrânia também busca injeções de financiamento para a reconstrução, mesmo que as forças russas continuem a realizar avanços no leste do território ucraniano.

    A Suíça acolhe, neste fim de semana, uma conferência internacional para procurar um caminho para a paz na Ucrânia,

    Contudo, o evento foi rejeitado pela China e considerado uma perda de tempo pela Rússia, que não foi convidada a participar.

     

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em uma coletiva ao lado do chanceler alemão, Olaf Scholz, disse que a Rússia já destruiu infraestruturas energéticas suficientes para abastecer as cidades de Berlim e Munique juntas.

    Zelensky esperava sair com promessas de bilhões de euros para a defesa e acordos para a construção de um sistema energético novo e mais moderno.

    “A Ucrânia está sofrendo com a forma mais destrutiva da visão russa do uso da energia como arma”, disse Zelensky.

    Citando estimativas do Banco Mundial de que a Ucrânia poderá precisar de 500 bilhões de dólares ao longo de uma década, Scholz afirmou que é necessário oferecer às empresas um caso de negócio para investir.

    O chanceler alemão ainda falou do potencial da Ucrânia em setores que incluem energias renováveis, TI e produtos farmacêuticos.

    Scholz disse que a Alemanha estava enviando mais sistemas de defesa aérea para reforçar a Ucrânia contra uma série de ataques russos a cidades e infraestruturas críticas, mais de dois anos depois da Rússia ter lançado uma invasão em grande escala ao país.

    “O melhor tipo de reconstrução é aquele que não precisa acontecer”, disse o alemão.

    Uma campanha russa de bombardeios aéreos, que começou em março, causou danos tão graves à capacidade de produção da Ucrânia que estão acontecendo apagões em todo o país.

    Questionado sobre o que esperava da conferência na Suíça, que visa gerar apoio para as propostas de paz de Kiev, Zelensky disse que o fato da reunião estar acontecendo era um resultado em si.

    Para o presidente ucraniano, se tornou cada vez mais difícil atualizar os países sobre a situação enquanto a guerra se arrastava.

    “É importante não entregar (a iniciativa)… à Rússia”, disse o líder ucraniano. “Porque a iniciativa russa foi demonstrada no dia da invasão em grande escala. A visão deles é a ocupação do nosso país”, acrescentou.