Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    União Europeia aprova lei para cortar emissões de CO2 de caminhões

    De olho na crise climática, bloco vai exigir que novos veículos pesados sejam livres de emissões a partir de 2040

    Kate Abnettda Reuters

    em Bruxelas

    Os países da União Europeia deram sua aprovação final nesta segunda-feira (13) a uma lei para reduzir as emissões de dióxido de carbono dos caminhões, que exigirá que a maioria dos novos veículos pesados vendidos na UE a partir de 2040 seja livre de emissões.

    A lei vai impor um corte de 90% nas emissões de CO2 de novos veículos pesados até 2040. Isso significa que os fabricantes terão que vender uma grande parte de caminhões totalmente livres de CO2 – incluindo veículos elétricos e aqueles que funcionam com combustível hidrogênio – para compensar as vendas remanescentes de novos veículos emissores de CO2 em 2040.

    A maioria dos caminhões nas estradas da Europa utiliza atualmente diesel, que produz emissões de gases com efeito de estufa e poluentes atmosféricos ligados ao câncer do pulmão e a doenças respiratórias. Os veículos pesados produzem um quarto das emissões dos transportes rodoviários na Europa.

    Os fabricantes de caminhões também terão de reduzir as emissões de CO2 das suas frotas em 45% até 2030 – substituindo uma meta existente de 30% – e 65% até 2035.

    A partir de 2030, 90% dos novos ônibus urbanos vendidos na UE terão emissões zero, aumentando para 100% em 2035.

    O grupo europeu de automóveis ACEA descreveu a política da UE como a mais ambiciosa do mundo e disse que as metas só serão alcançadas se os governos as igualarem com uma rápida implantação de 50.000 pontos de carregamento elétrico públicos adequados para caminhões até 2030.

    A política da UE em matéria de CO2 para caminhões obteve agora a aprovação dos países da UE e do Parlamento da UE, o que significa que pode ser transposta para a lei.

    Isso apesar das recentes reclamações da Alemanha e dos parlamentares de centro-direita da UE, que queriam que a política permitisse que mais caminhões de motores de combustão fossem vendidos além de 2040 se funcionassem com combustíveis neutros em CO2.

    Na votação desta segunda-feira (13), apenas Itália, Polônia e Eslováquia se opuseram à política, enquanto a República Tcheca se absteve, disse uma autoridade da UE à Reuters.

    Para ganhar o apoio da Alemanha, os países da UE acrescentaram no mês passado um preâmbulo à lei que dizia que a Comissão Europeia consideraria o desenvolvimento de regras no futuro para contar caminhões que funcionam com combustíveis neutros em CO2 para as metas.