Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    União Europeia lidera pedidos por investigação sobre morte de Navalny

    Opositor russo morreu no dia 16 de fevereiro em prisão na Sibéria; UE responsabiliza Putin por morte

    Manifestantes portam cartazes com retrato do líder oposicionista russo Alexei Navalny em vigíia em frente à embaixada russa em Kappara, Malta
    Manifestantes portam cartazes com retrato do líder oposicionista russo Alexei Navalny em vigíia em frente à embaixada russa em Kappara, Malta 19/02/2024REUTERS/Darrin Zammit Lupi

    Gabrielle Tetrault-Farberda Reuters em Genebra

    Um grupo de mais de 40 países reiterou nesta segunda-feira (4) pedidos para que a Rússia permita uma investigação internacional independente sobre a morte do líder da oposição Alexei Navalny na prisão.

    O pedido foi feito pela embaixadora da União Europeia, Lotte Knudsen, no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em Genebra, em nome de todos os 27 estados da UE e 16 outros países, incluindo Canadá, Reino Unido, Estados Unidos e Ucrânia.

    “Estamos indignados com a morte do político da oposição russa Alexei Navalny, pela qual a responsabilidade final é do presidente (Vladimir) Putin e das autoridades russas”, disse Knudsen.

    “A Rússia deve permitir uma investigação internacional independente e transparente sobre as circunstâncias de sua morte súbita.”

    Navalny, o crítico mais relevante do presidente Vladimir Putin dentro da Rússia, morreu aos 47 anos em uma colônia penal no Ártico em 16 de fevereiro, provocando acusações dos seus apoiantes de que ele tinha sido assassinado.

    O Kremlin negou qualquer envolvimento do Estado na morte do líder da oposição, que foi enterrado em Moscou na sexta-feira (1).

    O Comitê de Investigação da Rússia diz que iniciou uma investigação processual sobre a morte, e o Kremlin disse que não se curva às exigências da UE.