Veja os sinais de alerta que indicavam os ataques de 11 de setembro nos EUA

Governo dos EUA foram alertados diversas vezes que a Al Qaeda queria atacar o país, preferencialmente usando aviões

Edifício World Trade Center em chamas no ataque de 11 de setembro de 2001 em NY
Edifício World Trade Center em chamas no ataque de 11 de setembro de 2001 em NY 11/09/2021REUTERS/Jeff Christensen

Da CNN em Espanhol

Ouvir notícia

Aqui está um tour pelos sinais de alerta que precederam os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 nas Torres Gêmeas, em Nova York, nos Estados Unidos.

1988

Osama bin Laden funda a Al Qaeda (ou “a base”), um grupo militante cujo principal objetivo é travar a jihad mundial.

6 de janeiro de 1995

Abdul Hakim Murad está detido em Manila, nas Filipinas. Ele detalha planos para explodir aviões dos EUA sobre o Pacífico e bater um avião carregado de explosivos na sede da CIA ou em outro prédio federal dos EUA.

7 de agosto de 1998

Bombas explodiram nas embaixadas dos EUA no Quênia e na Tanzânia, matando 224 pessoas. A Al Qaeda assume a responsabilidade pelo ataque.

8 de outubro de 1998

A Administração da Aviação Federal (FAA, na sigla em inglês) aconselha as companhias aéreas e os aeroportos a manter um “alto grau de alerta”. O aviso vem em resposta a declarações feitas por Bin Laden após os bombardeios dos EUA contra alvos da Al Qaeda no Afeganistão e no Sudão.

Final de 1998

A comunidade de inteligência dos Estados Unidos coleta informações que indicam que Bin Laden deseja coordenar um ataque dentro dos Estados Unidos, mas as ameaças são vagas e não há detalhes sobre a hora e o lugar. A preocupação atinge seu pico durante a primavera e o verão de 2001.

1999

A inteligência francesa inclui Zacarias Moussaoui em uma lista de suspeitos de terrorismo.

Setembro de 1999

Um estudo federal sobre terrorismo é publicado. De acordo com o estudo, a Al Qaeda “representa a ameaça terrorista mais séria aos interesses de segurança dos Estados Unidos”. O estudo adverte que a Al Qaeda “pode ​​derrubar um avião carregado com altos explosivos (C-4 e Semtex) no Pentágono, na sede da CIA ou na Casa Branca“.

Dezembro de 1999

A CIA intercepta conversas telefônicas no Iêmen detalhando planos para uma próxima cúpula da Al Qaeda na Malásia.

14 de dezembro de 1999

Ahmed Ressam é preso enquanto tentava entrar nos Estados Unidos vindo do Canadá. Em seu carro, os pesquisadores encontram 59 quilos de material para fazer bombas. É finalmente descoberto que Ressam estava planejando explodir o Aeroporto Internacional de Los Angeles.

Janeiro de 2000

A CIA obtém informações sobre uma reunião de membros suspeitos da Al Qaeda em Kuala Lumpur.

12 de outubro de 2000

Bombardeiros suicidas atacam o USS Cole no Iêmen, matando 17 marinheiros. A Al Qaeda assume a responsabilidade pelo ataque.

2001

Moussaoui treina em escolas de aviação em Oklahoma e Minnesota.

Janeiro a setembro de 2001

A FAA publica 15 circulares informativas com advertências generalizadas de ameaças terroristas.

10 de julho de 2001

O agente do FBI Kenneth Williams escreve um memorando sobre homens do Oriente Médio treinando em escolas de aviação na área de Phoenix, especulando que eles podem estar ligados à Al Qaeda. O diretor da CIA, George Tenet, informa oficiais, incluindo a conselheira de segurança nacional Condoleezza Rice, sobre a ameaça da Al Qaeda.

6 de agosto de 2001

O presidente George W. Bush recebe um memorando intitulado “Bin Laden está determinado a atacar a América”.

15 de agosto de 2001

A Pan Am International Flight Academy, em Minnesota, alerta o FBI sobre suas suspeitas sobre Moussaoui, que pagou o treinamento em dinheiro e solicitou instruções para pilotar aviões de grande porte, apesar de ter pouca experiência. Posteriormente, o FBI interroga Moussaoui e medidas são tomadas para deportá-lo.

23 de agosto de 2001

A CIA enviou um telegrama urgente ao FBI, ao Departamento de Estado, ao Serviço de Alfândega e ao Serviço de Imigração e Naturalização, no qual os alertava sobre sua preocupação com indivíduos ligados a Bin Laden.

4 de setembro de 2001

Os assessores de segurança nacional de Bush aprovam uma versão preliminar de um plano de combate à Al Qaeda. Inclui alocações de US$ 200 milhões para armar os inimigos do Talibã. Os assessores pretendem apresentar o projeto a Bush em 10 de setembro, mas o presidente está ausente e não o vê.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original.)

A CNN Brasil terá uma programação especial no sábado, 11/09, ao vivo, a partir das 8h. Em transmissão simultânea com a CNN americana e com correspondentes espalhados pelos Estados Unidos, serão exibidas todas as homenagens às vítimas do atentado que completa 20 anos. Comandada pelo time de âncoras da CNN, a cobertura especial trará também convidados que irão analisar o contexto histórico, os desdobramentos e histórias de quem acompanhou o horror de perto.

Antes, na sexta-feira, dia 10/09 às 22h30, o CNN Nosso Mundo recebe Leandro Karnal, que traz um panorama do quanto esse fato mudou, não só os Estados Unidos, mas o mundo.

Mais Recentes da CNN