Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Venezuela e Rússia planejam expandir acordos de cooperação, diz Sergei Lavrov  

    Ministro das Relações Exteriores russo visitou o país sul-americano em meio às intenções dos Estados Unidos para reduzir sanções contra o regime de Nicolás Maduro 

    Lavrov se encontrou com Maduro dentro de uma série de viagens que incluiu o Brasil e passará por Nicarágua e Cuba
    Lavrov se encontrou com Maduro dentro de uma série de viagens que incluiu o Brasil e passará por Nicarágua e Cuba Pedro Rances Mattey/Anadolu Agency via Getty Images

    Da CNN em Espanhol

    Caracas

    A Rússia e a Venezuela planejam expandir os acordos de cooperação em energia, investimento, comércio e finanças, entre outras áreas, disse o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, em visita a países aliados na América Latina.

    A Venezuela é um aliado próximo do governo do presidente Vladimir Putin e, em meio ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia, o presidente venezuelano Nicolás Maduro expressou apoio ao seu homólogo russo.

    “Com a Venezuela temos uma agenda muito rica e projetos práticos e de cooperação que, na prática, fortalecem a base da nossa economia, que não depende do capricho da chantagem” do Ocidente, disse Lavrov, que visitou o Brasil e cuja turnê continuará na Nicarágua e Cuba.

    “A Venezuela é um dos parceiros mais viáveis na cooperação estratégica”, acrescentou o chanceler russo na sede do Itamaraty, onde se reuniu com seu homólogo venezuelano, Yván Gil.

    Gil disse que foram acertados avanços em aspectos como energia e finanças, mas não deu detalhes.

    Mais tarde, Lavrov manteve uma reunião com Maduro no palácio de Miraflores, sede do governo venezuelano, segundo imagens da televisão estatal. Não há detalhes da reunião.

    Moscou apoiou Maduro durante a crise política de seu país, marcada nos últimos anos por sanções dos EUA contra autoridades e entidades venezuelanas, como a estatal petrolífera do país membro da Opep.

    Desde 1999, os dois países, sancionados por Washington, estreitaram suas relações e firmaram acordos em energia, saúde, transporte, ciência e tecnologia e militares.

    A reunião acontece em um momento em que os Estados Unidos acenam com a possibilidade de reduzir as sanções contra a Venezuela. O líder norte-americano, Joe Biden, receberá seu equivalente da Colômbia, Gustavo Petro, em conversas na Casa Branca na quinta-feira. E um dos principais temas a ser abordados é justamente uma menor pressão contra Maduro, em troca de medidas concretas para eleições justas no país.

    (Com informações da Reuters)