Venezuela firma acordo com a Rússia para iniciar vacinação com a Sputnik V

A vice-presidente venezuelana, Delcy Rodríguez, declarou que o tratado permitirá vacinar ao menos 10 milhões de pessoas

Frasco com a vacina Sputnik V
Frasco com a vacina Sputnik V Foto: Sergey Pivovarov / Reuters

Jéssica Otoboni,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A Venezuela firmou um acordo com a Rússia para começar a imunizar a população com a vacina russa contra Covid-19 Sputnik V. O anúncio foi feito nesta terça-feira (29).

À emissora estatal venezuelana VTV, o embaixador da Rússia, Serguei Melik-Bagdasarov, disse que a “Venezuela é um país muito prudente e avançado”. “Seguiremos desenvolvendo nossa relação e associação estratégica em todas as áreas que temos”, afirmou ele.

Assista e leia também:
Anvisa e Pfizer tentam acordo em reunião amanhã sobre registro da vacina
Por falta de ketchup no McDonald’s, homem xinga funcionários e clientes; assista
6 atitudes para avançar na carreira em 2021

A vice-presidente venezuelana, Delcy Rodríguez, declarou que o acordo permitirá vacinar ao menos 10 milhões de pessoas com a Sputnik V, e ressaltou que a vacina russa é “muito segura”. “Já estamos preparados para começar a vacinar a nossa população o mais rápido possível”, disse ela. “O povo da Venezuela tem o direito de ser vacinado e tem recursos para comprar essa vacina.”

No início de outubro, a Venezuela recebeu um carregamento da Sputnik V, a primeira entrega do produto a um país da América Latina. “Esta cooperação para a vacina Sputnik V foi resultado do contato permanente, das reuniões, da estreita cooperação que existe entre a Venezuela e a Rússia”, disse Rodriguez na ocasião.

Até o fim de novembro, a Venezuela tinha mais de 101 mil casos de Covid-19 e 892 mortes relacionadas à doença, de acordo com o Ministério da Saúde do país.

Mais Recentes da CNN