Vigilância da mídia russa ameaça meios de comunicação sobre cobertura da Ucrânia

Foram notificados os veículos Echo of Moscow, InoSMI, Mediazona, New Times, TV Rain, Svobodnaya Pressa, Krym.Realii, Novaya Gazeta, Zhurnalist e Lenizdat

Edifício residencial é danificado por um ataque de míssil pela manhã em Kiev, enquanto a intervenção militar da Rússia na Ucrânia continua em 26 de fevereiro de 2022
Edifício residencial é danificado por um ataque de míssil pela manhã em Kiev, enquanto a intervenção militar da Rússia na Ucrânia continua em 26 de fevereiro de 2022 Anadolu Agency via Getty Images

Vasco CotovioNathan Hodgeda CNN

em Moscou

Ouvir notícia

O regulador russo de comunicações Roskomnadzor alertou 10 meios de comunicação locais que restringirá o acesso às suas publicações, a menos que parem de espalhar o que chama de informações falsas, incluindo referências à operação militar na Ucrânia como um “ataque, invasão ou declaração de guerra”.

Acompanhe a cobertura especial da CNN.

Em cartas enviadas a esses meios de comunicação, o órgão de vigilância disse que se queixou de supostas “informações falsas” que publicaram sobre o bombardeio de cidades ucranianas e a morte de civis causada pelas forças armadas russas.

Os veículos notificados são: Echo of Moscow, InoSMI, Mediazona, New Times, TV Rain, Svobodnaya Pressa, Krym.Realii, Novaya Gazeta, Zhurnalist e Lenizdat.

O editor da Novaya Gazeta, Dmitry Muratov, ganhou o prêmio Nobel da Paz em 2021. Alguns desses veículos foram designados pelas autoridades russas como agentes estrangeiros.

“A menos que as informações imprecisas acima sejam removidas, o acesso a essas fontes será restrito”, disse o órgão de vigilância em comunicado neste sábado (26), anunciando uma investigação sobre os meios de comunicação.

“Roskomnadzor recomenda fortemente que os veículos de imprensa, antes da publicação (transmissão) de materiais de acordo com o artigo 49 da Lei de Mídia de Massa, estabeleçam sua autenticidade”, disse o órgão de vigilância. “Enfatizamos que informações precisas e verificadas estão disponíveis em fontes oficiais de informações russas”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN