Walmart deixa de lacrar cosméticos voltados para público negro nos EUA

Em algumas lojas da maior varejista dos Estados Unidos, produtos comumente usados por negros tinham tratamento diferenciado em comparação com outros cosméticos

Logo do Walmart
Logo do Walmart Foto: Edgard Garrido/Reuters

Chauncey Alcorn, da CNN

Ouvir notícia

A rede norte-americana de supermercados Walmart anunciou nesta sexta-feira (12) que deixará de armazenar produtos cosméticos multiculturais em embalagens de segurança dentro de suas lojas.

A maior varejista dos Estados Unidos anunciou a nova política dias depois que uma mulher negra em Montbello, no estado do Colorado, compartilhou um vídeo nas mídias sociais mostrando as diferenças na forma como o Walmart exibia produtos para cabelos de negros e os outros produtos capilares.

No vídeo, xampus e condicionadores comumente usados por pessoas brancas estão em prateleiras normais, enquanto os produtos projetados para cabelos negros são armazenados em caixas de plástico trancadas.

“O privilégio dos brancos também se estende aos produtos para os cabelos, aparentemente, no Walmart”, diz a mulher no vídeo. “Há pessoas negras e pardas em todo o lugar. A mensagem é clara: não confiamos em você.”

O tratamento diferenciado para produtos étnicos vendidos nas lojas do Walmart foi destaque nas redes sociais várias vezes nos últimos anos. Também foi objeto de um processo de discriminação contra o Walmart, retirado no ano passado, no qual os demandantes argumentaram que o armazenamento de produtos em embalagens de segurança implicava que os negros eram mais propensos a furtar.

Assista e leia também:

‘Não merecia morrer por US$ 20’, diz irmão de George Floyd ao Congresso dos EUA

Ex-policial envolvido na morte de George Floyd é libertado sob fiança

Ao anunciar a nova política, o Walmart disse que deixará de armazenar produtos multiculturais para cuidados com os cabelos e beleza em embalagens de segurança, mas ressaltou que a maioria de suas lojas nunca adotou essa medida.

“Somos sensíveis ao problema e entendemos as preocupações levantadas por nossos clientes e membros da comunidade e tomamos a decisão de interromper a colocação de produtos multiculturais para cuidados com os cabelos e beleza – uma prática em vigor em cerca de uma dúzia de 4.700 lojas em todo o país – em embalagens fechadas”, disse a empresa em comunicado.

O Walmart afirmou que embalagens de proteção foram colocadas para impedir ladrões e que a empresa não tolera discriminação.

A nova política foi anunciada durante um período de rápidas mudanças de políticas entre as principais empresas que manifestaram solidariedade com o movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) após protestos em todo o mundo em razão do assassinato de George Floyd, em Minneapolis, por um policial branco no mês passado.

Na quinta-feira, a Microsoft anunciou que deixaria de vender sua tecnologia de reconhecimento facial para os departamentos de polícia dos EUA, após anúncios semelhantes feitos por Amazon e IBM. Na quarta-feira, a Nascar proibiu a exibição da bandeira confederada em seus eventos.

Texto traduzido. Clique aqui para ler o original.

Mais Recentes da CNN