Zelensky conversou com papa sobre guerra na Ucrânia

Líder da Igreja Católica tem chamado a guerra de "massacre sem sentido"

Papa Francisco durante audiência geral semanal no Vaticano
Papa Francisco durante audiência geral semanal no Vaticano Remo Casilli/Reuters

Hada MessiaSharon Braithwaiteda CNN

Roma

Ouvir notícia

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e o papa Francisco conversaram por telefone na terça-feira (22) sobre a guerra, disse Zelensky a parlamentares italianos. “Hoje falei com Sua Santidade o Papa Francisco, e ele disse palavras muito importantes: ‘Eu entendo que você quer a paz. Eu entendo que você tem que se defender, que os soldados defendem os civis, eles defendem sua pátria”, disse o ucraniano em um discurso ao Parlamento italiano.

“E eu respondi: ‘Nosso povo se tornou o exército, quando viu quanta maldade o inimigo traz, quanta devastação traz e quanto derramamento de sangue a Rússia quer ver'”, disse o presidente.

Segundo Zelensky, 117 crianças foram mortas até agora durante a guerra, chamando isso de “o preço da procrastinação” de outros países para parar a guerra.

O Papa tem condenado o que chamou de “massacre sem sentido”, embora evite citar a Rússia em suas manifestações. “Peço a todos os atores da comunidade internacional que façam um esforço real para acabar com esta guerra repugnante”, declarou em aparição na Praça de São Pedro no último domingo (20).

Zelensky falou ao papa “sobre a difícil situação humanitária e o bloqueio dos corredores de resgate pelas tropas russas”, disse em post no Twitter.

“O papel mediador da Santa Sé no fim do sofrimento humano seria apreciado”, acrescentou Zelensky. Em outro tweet, o embaixador da Ucrânia no Vaticano, Andriy Yurash, disse que a dupla teve conversas “muito promissoras”.

Yurash também disse que o papa “é o convidado mais esperado na Ucrânia”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN