Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Zelensky pede ajuda ao Ocidente após derrota na guerra

    Rússia forçou a retirada de tropas ucranianas de uma das principais cidades da linha de frente

    Zelensky pede ajuda ao Ocidente após derrota na guerra
    Zelensky pede ajuda ao Ocidente após derrota na guerra REUTERS

    Maria Kostenko e Manveena Surida CNN

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pressionou as nações parceiras por mais assistência militar à Ucrânia na Conferência de Segurança de Munique, no sábado (17), em meio a sinais de que a guerra está a favor da Rússia.

    Seu pedido veio logo após as forças ucranianas anunciarem sua retirada da cidade de Avdiivka.

    Um pacote de ajuda militar de US$ 60 bilhões está retido no Congresso dos Estados Unidos desde dezembro. No início deste mês, um projeto de lei de financiamento suplementar foi aprovado na Câmara, mas logo foi barrado pelo Senado de maioria republicana. A Europa também está lutando para enviar o que prometeu.

    “Infelizmente, manter a Ucrânia no déficit de armas, particularmente em déficit de artilharia e capacidades de longo alcance, permite que Putin se adapte à intensidade atual da guerra”, disse Zelensky, acrescentando “O auto enfraquecimento da democracia ao longo do tempo mina nossos resultados conjuntos.”

    “Se tivermos sistemas de defesa aérea suficientes, podemos trazer milhões de ucranianos para casa”, disse ele.

    Zelensky disse que a situação em Avdiivka provou “exatamente” que as ações da Ucrânia são “limitadas apenas pelo alcance de nossas força.”

    “Esperamos o que foi prometido, o que concordamos, que seremos capazes de avançar com artilharia aérea onde a Federação Russa tem a vantagem”, acrescentou Zelensky.

    “É essencial que a ajuda chegue aos céus.. Onde há sistemas de defesa aérea, a Rússia imediatamente se retirou porque estava perdendo aeronaves. Esses sistemas vão desbloquear o céu e permitir que nossos soldados avancem”, continuou ele.

    O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden / Assessoria de Imprensa da Presidência da Ucrânia / Divulgação via REUTERS

    Zelensky também disse que estava “pronto para ir” para a linha de frente com o republicano Donald Trump.

    “Acho que se estamos em diálogo sobre como terminar a guerra, temos que demonstrar [para] as pessoas que são tomadoras de decisão, o que isso significa: o mundo real. Não no Instagram. Mundo real”, disse Zelensky.

    No ano passado, Zelensky abriu a Conferência de Segurança de Munique com um vídeo apaixonado pedindo armas mais rápidas para repelir as forças russas. Este ano, ele compareceu pessoalmente pela primeira vez desde a invasão russa há quase dois anos.

    Mais tarde, depois de se encontrar a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, o líder ucraniano pediu ao Congresso americano que aprove o financiamento.

    A vice-presidente Kamala Harris se encontrou neste sábado com o presidente Zelensky / REUTERS

    “Para nós, este pacote é vital”, disse ele. “Atualmente não procuramos alternativas porque contamos com os Estados Unidos.”

    “Há apenas o plano A, que é garantir que a Ucrânia receba o que precisa”, disse Harris.

    “Vou enfatizar que uma indicação de onde podemos e, francamente, devemos estar é que há apoio bipartidário em ambas as nossas casas do Congresso.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original