Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    O casal de empresários por trás da bolsa que esgotou em dois minutos

    Ami e Jason Richter comandam a Lug, marca que precisou se reinventar na pandemia com novos modelos e ações com influenciadores

    Modelos da Lug, marca americana de bolsas, malas e acessórios
    Modelos da Lug, marca americana de bolsas, malas e acessórios Courtesy Lug

    Parija Kavilanzda CNN

    Em 2020, quando a pandemia interrompeu todas as viagens não essenciais, Ami e Jason Richter tiveram de pensar rápido. Eles administravam um negócio em plena ascensão chamado Lug, que vendia bolsas de viagem e acessórios divertidos e que tinha uma legião crescente de fãs, entre eles a apresentadora Oprah.

    Mas, à medida que as proibições de viagem entraram em vigor, as famílias sucumbiram aos bloqueios e o trabalho em casa rapidamente tornou-se a norma, comprar mochilas e bolsas de ombro era a coisa mais distante da mente das pessoas.

    Foi nesse momento que Ami se apoiou em uma abordagem familiar para conduzir a empresa em meio à incerteza.

    “Sempre acreditei em manter nossos olhos à frente e reinventar continuamente nossos produtos para atender a novas situações na vida de nossos clientes”, disse ela.

    Quando a equipe de marido e mulher cofundou a Lug em 2005, sua ideia era criar uma linha de bolsas e acessórios acolchoados altamente funcionais e divertidos para manter as pessoas organizadas em movimento. Eles lançaram a empresa naquele ano com apenas três produtos – etiquetas de bagagem, alças de bagagem e carteiras, adicionando itens cada vez mais variados à medida que a empresa crescia.

    As bolsas coloridas da Lug apresentam vários bolsos e compartimentos para armazenar uma variedade de itens essenciais do dia a dia, como telefones, laptops, cosméticos, garrafas de água, carteiras, chaves e roupas. No início de 2020, seu portfólio de produtos havia se expandido para mais de 150 itens diferentes, incluindo bolsas de ginástica, bolsas para laptop, mochilas e malas.

    Mas, à medida que as viagens despencaram em meio à pandemia, as vendas de malas e todos os itens relacionados a viagens foram dizimados. Ami teve de encontrar uma maneira de manter as bolsas Lug relevantes para um mercado completamente alterado. Ela fez isso adaptando designs de bolsas para atender aos novos estilos de vida dos consumidores da era da pandemia.

    “Basicamente, analisamos o ambiente em rápida mudança e adaptamos nossos produtos a ele”, disse Jason.

    Ami e Jason Richter no escritório da Lug / Courtesy Lug

    Por exemplo, a Ami adicionou bolsos laváveis ​​feitos de material semelhante ao vinil aos novos designs para que os clientes pudessem higienizar facilmente as bolsas e encontrar coberturas faciais, além de bolsos extras para guardar desinfetantes para as mãos.

    Ela disse que a maioria das bolsas Lug agora tem bolsos transparentes que podem ser limpos “onde faz sentido no design”. Eles também adicionaram bolsos para porta-canetas para que as pessoas tenham suas próprias canetas.

    A Lug já tinha uma vantagem ao entrar na pandemia com seu modelo de vendas principalmente direto ao consumidor. Em 2015, a marca se juntou à QVC, canal de televisão aberta especializado em compras, um movimento que expandiu seu alcance de mercado para mais de 500.000 novos clientes, disse Jason.

    Em sua primeira aparição no QVC em 24 de julho de 2015, Ami apresentou uma bolsa Lug chamada “Puddle Jumper”, uma mochila com vários bolsos com zíper dentro e fora. Esgotou em dois minutos.

    “Enquanto as lojas físicas e os shoppings fechavam, estar no QVC nos manteve em movimento”, disse Jason. As vendas do negócio aumentaram durante a pandemia e continuam a crescer de 15% a 20% ano a ano, acrescentou.

    “Em algum momento, as viagens rodoviárias voltaram”, disse Ami. “As famílias estavam visitando seus pais, seus avós e nossas malas estavam vendendo.”

    Criando um estilo de vida Lug

    Por meio do canal de televisão de vendas, a Lug vendeu 5 milhões de produtos/ Courtesy Lug

    Até o momento, a empresa diz que vendeu mais de cinco milhões de produtos apenas por meio do QVC e mais de 15 milhões de produtos em geral desde que foi criado. Isso é um longo caminho desde o seu humilde começo.

    Ami e Jason se conheceram em 2004 em uma feira de negócios em Las Vegas. Ela tinha um pequeno estande ao lado dele, onde exibia uma coleção de bolsas urbanas para laptop e outros produtos. Ele estava apresentando uma linha de camisetas.

    Eles se apaixonaram e passaram os meses seguintes se visitando em Toronto e Dallas. A longa viagem entre as duas cidades inspirou a ideia de Lug.

    “Nós realmente queríamos trazer cores vivas e felizes para o espaço de viagem porque tudo parecia realmente preto e marrom e chato”, disse Ami, que identificou os principais clientes da Lug como mulheres com 40 anos ou mais, com vidas ativas e ocupadas que apreciam ser organizadas.

    Eles iniciaram a empresa com US$ 30.000 que haviam economizado e investiram os lucros de volta no negócio. Os Richter disseram que não receberam nenhum financiamento externo desde então.

    “Esgotamos nossas contas bancárias e estouramos os cartões de crédito para gasolina para nossas viagens de carro”, disse Ami. “Nós também éramos nossos próprios vendedores e batemos em muitas portas para apresentar a Lug.”

    O ponto de virada veio em 2011, quando a marca foi escolhida por um canal de televisão canadense de compras domésticas. A parceria QVC seguiu dois anos depois.

    Em outubro de 2020, em plena pandemia, Ami e Jason lançaram um programa diário de compras online ao vivo chamado Lug Live, apresentado por superfãs da marca. Tem seis apresentadores que mostram uma coleção com curadoria de produtos Lug e discutem como eles se encaixam em suas vidas cotidianas.

    A próxima ideia de Ami sugere sua visão da Lug se tornando uma marca de estilo de vida além das bolsas.

    Em outubro, a empresa apresentará as roupas de dormir e loungewear Lug – no QVC, é claro. “Somos divertidos. Nossos clientes já adoram combinar nossas bolsas com o que estão vestindo”, disse ela. “Agora eles podem se vestir da cabeça aos pés com uma de nossas estampas.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original