200 mil mortes por Covid no Brasil, eficácia da Coronavac e mais de 7 de janeiro

Assista ao 5 Fatos Noite apresentado pela âncora da CNN Carol Nogueira

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A marca de 200 mil mortes por Covid-19 e a eficácia da Coronavac em testes feitos no Brasil estão entre os destaques do 5 Fatos Noite desta quinta-feira, 7 de janeiro de 2021.

Covid-19 no Brasil

O Brasil ultrapassou a marca de 200 mil mortes por Covid-19, segundo levantamento feito pela CNN. A primeira morte foi registrada há dez meses, no dia 12 de março.

Vacinação

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), intimou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a prestar informações sobre o estoque de insumos necessários à vacinação contra a Covid-19. Pazuello tem cinco dias para divulgar os números.

Compra de vacina

O ministro da Saúde afirmou hoje que foram compradas 100 milhões de doses da vacina do Instituto Butantan para o Plano Nacional de Vacinação. Eduardo Pazuello afirmou que a divisão dos imunizantes seguirá critérios nacionais e não critérios estaduais ou municipais. 

Coronavac

A Coronavac registrou eficácia de 78% em testes feitos no Brasil e garantiu proteção de 100% contra casos graves de Covid-19. Até sexta-feira (8), o Instituto Butantan deve pedir à Anvisa o uso emergencial do imunizante. 

Declaração de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro voltou a levantar dúvidas sobre a confiabilidade do voto eletrônico no Brasil e afirmou novamente que houve fraude na eleição de 2018. Em nota, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que se eventuais provas forem apresentadas, serão examinadas pelo tribunal. Ministros do TSE passaram a defender, nos bastidores, a abertura de um inquérito para apurar as declarações de Bolsonaro. Eles acreditam que a fala “desmoraliza” a Justiça Eleitoral. 

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br

 
 

Mais Recentes da CNN