Cidades do Grande ABC vão paralisar transporte público por causa do coronavírus


Iuri Pitta
Por Iuri Pitta, CNN  
18 de março de 2020 às 11:50 | Atualizado 18 de março de 2020 às 12:00
Municípios do Grande ABC, em SP, paralisarão transporte público

Transporte público em São Paulo

Foto: Rovena Rosa - 19.mai.2016/ ABR

Os sete prefeitos do Grande ABC, importante polo industrial na região metropolitana de São Paulo, decidiram nesta quarta-feira (18) pela paralisação gradual dos sistemas municipais de transporte público, como medida preventiva em função da pandemia do coronavírus. A partir do próximo dia 29, os coletivos sob responsabilidade das prefeituras não vão circular em Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

A decisão afeta não só os 2,8 milhões de habitantes das sete cidades, mas também moradores de cidades vizinhas. O ABC fica situado entre a Baixada Santista, onde está localizado o Porto de Santos, e a capital paulista e também serve de rota entre este terminal e o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos.

Leia também:

RJ suspende chegadas de ônibus que tenham saído de São Paulo

Witzel quer praias vazias para conter contágio pelo coronavírus no Rio

“É uma atitude drástica e impopular, mas necessária para a proteção dos cidadãos”, afirmou o prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania). Ele é presidente do Consórcio ABC, entidade que reúne os sete municípios da região e é uma referência em atuação de prefeituras de forma colegiada. “O fato de termos o consórcio é fundamental no enfrentamento de uma crise dessa proporção”, disse Maranhão.

O presidente do Consórcio ABC vai comunicar o governador João Doria (PSDB) sobre a decisão nesta tarde, e a expectativa dos prefeitos da região é de que os serviços de ônibus intermunicipais, metrô e trem metropolitano (CPTM) que circulam nos sete municípios também sejam suspensos, por tempo indeterminado, pelo governo estadual.