"Sistema de saúde em Manaus já colapsou", diz prefeito da cidade

Em entrevista para a CNN, Arthur Virgílio disse que as atitudes de Bolsonaro desmobilizam os esforços contra o coronavírus

Da CNN, em São Paulo
10 de abril de 2020 às 17:49

O estado do Amazonas é hoje um dos principais focos de coronavírus no Brasil. Segundo relatório divulgado nesta sexta-feira (10) pelo Ministério da Saúde, o estado é o que tem a maior incidência média de casos de COVID-19 no país. São 23,3 casos a cada 100 mil habitantes. A situação é ainda mais dramática na capital Manaus, onde o sistema de saúde já colapsou, segundo disse o prefeito da cidade Arthur Virgílio (PSDB) em entrevista para a CNN.

“As projeções dizem que o sistema vai colapsar em dias. Aqui em Manaus isso já aconteceu, tanto sistema de saúde e funerário já colapsaram. Entramos em contato com uma cidade vizinha para usar o crematório deles.”

Virgilio também contou que diante da situação, atropelou os poderes federais e estaduais e iniciou projeto de construção de um hospital de campanha na cidade. “Estou fazendo às pressas um hospital em Manaus. Vamos fazer em tempo recorde, em menos de 10 dias conseguiremos construir 144 leitos e 32 UTI’s”.

O prefeito criticou a postura de Bolsonaro, de ignorar o isolamento e realizar aparições públicas. Para Virgílio, a atitude afeta as tentativas de diminuir o avanço da doença. “Atitudes como a do presidente desmobilizam. Hoje muitas ruas de Manaus estão cheias de carros, pessoas vão em estabelecimentos abertos fingindo vida normal. Mas essa atitude não ativa economia, apenas causará mais doenças e aumentará colapso da saúde.”