Por prevenção à COVID-19, velórios em Salvador devem ter até dez minutos

Cerimônias devem ter no máximo dez pessoas, que devem manter distância de dois metros entre si

da CNN
27 de abril de 2020 às 21:03 | Atualizado 27 de abril de 2020 às 21:37
Coveiros enterram vítima da COVID-19 em Salvador, Bahia, usando trajes de proteção (27.abr.2020)
Foto: Romildo de Jesus/Futura Press/Estadão Co

A Semop (Secretaria Municipal de Ordem Pública) de Salvador recomendou nesta segunda-feira (27) que todos os velórios da cidade durem até dez minutos. A orientação é para conter a transmissão do novo coronavírus.

Em nota publicada pela Prefeitura, o ideal é que as cerimônias tenham no máximo dez participantes, que devem manter distância mínima de dois metros entre si. 

O anúncio ainda diz que é obrigatório que o caixão esteja fechado em todas as solenidades. Caso tenha sido confirmado que a morte foi em decorrência da COVID-19, não há velório —o corpo sai do carro da funerária direto para o jazigo.

Durante a quarentena, os cemitérios soteropolitanos só ficam abertos ao público em sepultamentos ou em horários pré-agendados.

O órgão pretende entregar mais 1.060 gavetas em cemitérios municipais até o fim do primeiro semestre, "prevendo um possível aumento no número de óbitos em função do coronavírus".

De acordo com o Ministério da Saúde, a Bahia tem 6.726 casos confirmados e 390 mortes pela COVID-19 até o momento.