'Estamos enfrentando o momento de pico da COVID-19', diz infectologista

Para médico infectologista Jean Gorinchteyn, o mais indicado é que a reabertura seja avaliada por cada municípios no caso do estado de São Paulo

Da CNN, em São Paulo
29 de abril de 2020 às 12:32 | Atualizado 29 de abril de 2020 às 17:29

O médico infectologista Jean Gorinchteyn disse à CNN, nesta quarta-feira (29), que este é o maior aumento de casos do novo coronavírus, o que irá culminar no pico da curva epidemiológica da COVID-19.

"Estamos realmente enfrentando o momento de pico de uma doença que impacta não só as pessoas, mas também o sistema de saúde, que já era comprometido em grande parte do país", afirmou ele, que ainda refletiu sobre se este é o momento para flexibilizar o isolamento social.

Para o médico, o mais indicado é que a reabertura seja avaliada por municípios, no caso do estado de São Paulo. "Hoje, metade deles já tem casos da doença", pontuou. "Então temos que fazer de uma forma muito individualizada porque estamos falando de vidas e pessoas que cada vez mais estão morrendo desassistidas", completou.

Leia também:

Estudo indica que Brasil tem 10 vezes mais casos do que os registrados

Cerca de 200 brasileiros voluntários já se inscreveram para testar vacinas

COVID-19: Gilead avança com o medicamento remdesivir

O infectologista ainda frisou que as pessoas devem permanecer em casa porque o país "já está em uma condição de UTIS comprometidas". 

Segundo o Ministério da Saúde, 474 novas mortes foram confirmadas nas últimas 24 horas, totalizando 5.017 no país até terça-feira (28). É a maior elevação diária do número de mortes para um único dia, lembrando que esse número diz respeito aos óbitos que foram confirmados no período, independentemente da data em que tenham ocorrido.