Data do Enem pode mudar, mas não é hora de discutir isso, diz presidente do Inep


Da CNN, em São Paulo
11 de maio de 2020 às 07:48 | Atualizado 11 de maio de 2020 às 08:24

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), Alexandre Lopes, disse, em entrevista à CNN nesta segunda-feira (11), que a data da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode mudar, mas agora ainda não é o momento para discutir esse assunto.

Lopes confirmou que as inscrições para o Enem começam hoje às 10h. “Entendemos que a discussão sobre a data da prova é prematura ainda”, disse ele. “Queremos garantir a execução do Enem.”

Com relação às ações judiciais, o presidente do Inep declarou que o órgão ganhou todas elas até agora. "O argumento que colocamos em juízo é que a data [do Enem] pode até vir a ser alterada, mas não é agora o momento de se discutir isso", afirmou. "Mais próximo da data da realização da prova é que a gente vai poder, se necessário, alterar a data."

Ele declarou também que a pandemia do novo coronavírus não atrapalhou a montagem da prova, pois ela é feita a partir de um banco de itens e as questões foram produzidas antes da crise da doença. “O que nós temos que fazer neste ano é a montagem dos itens, a escolha deles para fazer a prova”, afirmou Lopes.

Questionado se os estudantes poderiam ser prejudicados no Enem 2020 por estarem afastados do sistema regular de ensino, ele respondeu que a pandemia afeta a todos os participantes, ainda que de forma diferente. "A gente fala dos alunos da escola pública, mas também temos que lembrar dos alunos das escolas privadas, cujo pai perdeu o emprego ou o negócio foi à falência e o aluno teve que sair da escola privada", disse.

Assista e leia também:
MEC ampliará sistema de avaliação de ensino e pode incluir alternativa ao Enem
Inep altera data de aplicação de prova digital do Enem e amplia isenção de taxa

O presidente do Inep afirmou ainda que "a prova é a mesma para todos, a gente dá condições iguais de participação". Ele citou que políticas como o Fies (Programa de Financiamento Estudantil) e o Prouni ajudam a combater a desigualde na educação no país.

Com relação à logística preparada para o dia da realização do exame, Lopes disse que o Inep vai garantir a segurança sanitária tanto dos participantes quanto das mais de 500 pessoas que atuam na aplicação das provas. "Faremos todas as adequações necessárias."

Além disso, ele lembrou que tanto a prova presencial quanto a digital são feitas presencialmente. "O Enem digital o aluno não faz no seu dispositivo, ele vai até um local de prova", explicou, acrescentando que, para este caso, também serão garantidas as condições de segurança sanitária.

Sobre possíveis problemas na plataforma de inscrição para o Enem 2020, Lopes declarou que 3,4 mil pessoas já conseguiram pedir isenção da taxa e 70% delas solicitaram esse benefício pelo celular. "Como conseguimos cumprir as isenções, entendemos que vamos conseguir também fazer as inscrições. Mas, se tiver algum problema, vamos atuar para resolver."

Inscrições para Enem 2020 começam hoje

As inscrições para o Enem 2020 começam hoje e seguem até o dia 22 de maio. Apesar dos pedidos por um adiamento diante da pandemia do novo coronavírus, o calendário para a realização do exame segue mantido, com provas presenciais agendadas para 1º e 8 de novembro. 

Defensores do adiamento alegam que, mesmo que provas presenciais sejam possíveis em novembro, as restrições causadas pela crise, como o fechamento de bibliotecas e inviabilidade de aulas presenciais em escolas, prejudicam a preparação dos alunos de todas as classes, principalmente os mais pobres. 

Até o momento, no entanto, o Ministério da Educação (MEC) e o Inep mantêm o posicionamento de seguir o cronograma original. Na semana passada, o MEC divulgou uma campanha nas redes sociais reforçando as datas de inscrição do Enem, sob o lema "o Brasil não pode parar".