Ainda há número expressivo de carros nas ruas, diz secretário de Transportes

Em São Paulo, carros com placas de final ímpar (1, 3, 5, 7 e 9) só podem circular nos dias ímpares; carros com final par (0, 2, 4, 6 ou 8) só em dias pares

Da CNN, em São Paulo
11 de maio de 2020 às 15:02 | Atualizado 11 de maio de 2020 às 15:34

O secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy, avaliou, em entrevista à CNN, nesta segunda-feira (11), a implementação do rodízio ampliado na cidade de São Paulo, que começou a valer nesta manhã.

Baldy disse acreditar que "medidas são tentadas pelo bem comum". "Não existe um manual para combater o [novo] coronavírus, portanto todos os prefeitos pelo mundo todo tomaram medidas, tiveram que voltar atrás e buscaram outras para que pudessem ser implementadas. Então, essa do novo rodízio é uma que está sendo testada com toda a boa intenção do prefeito de São Paulo [Bruno Covas] para que consiga com que todas as pessoas que não precisam, não saiam de casa", considerou ele.

Baldy ainda afirmou que "o transporte público conseguiu absorver o aumento do número de passageiros" nas primeiras horas do novo rodízio na capital paulista, mas que ainda é preciso avaliar os impactos no horário da volta e também no dia para placas com final par. "Em termos de percepção, porque ainda não temos um dado consolidado, percebemos que ainda há um número expressivo de carros pelas ruas", disse.

Leia também:

Novo rodízio de veículos entra em vigor nesta segunda em São Paulo

Doria diz que estado recebeu doação de mais R$11,65 mi para ajuda a vulneráveis

Baldy ainda ressaltou que, neste momento, "é importante que haja diálogo e reflexão sobre cada movimento que os governantes possam tomar, pois são atitudes que impactam a vida das pessoas". "Portanto, essas medidas, além de discutidas e dialogadas, têm que ter fundamento para serem implementadas, porque senão as pessoas que não estejam em funções essenciais são impactadas e colocamos o transporte coletivo como única alternativa, então pode não ter o efeito desejado sob o aspecto de combater o [novo] coronavírus".

No novo rodízio, os carros com placas de final ímpar (1, 3, 5, 7 e 9) só poderão circular nos dias ímpares. Os carros com placa final par (0, 2, 4, 6 ou 8) só poderão circular nos dias pares. Essa é a mudança importante em relação à regra anterior: o número da placa define quem deve circular. No modelo antigo, o número da placa definia restrição de circulação.

Também à CNN, o secretário municipal de Transportes de São Paulo, Edson Caram, disse que o início do rodízio ampliado na cidade demonstrou que “a população de São Paulo está indo na linha daquilo que realmente precisamos”