Secretário municipal de Transportes de SP avalia novo rodízio como positivo

Segundo Edson Caram, o índice de lentidão registrado na manhã desta segunda-feira (11) foi de 4 km

Da CNN, em São Paulo
11 de maio de 2020 às 15:28 | Atualizado 11 de maio de 2020 às 15:29

O secretário municipal de Transportes de São Paulo, Edson Caram, disse à CNN na tarde desta segunda-feira (11) que o início do rodízio ampliado na cidade demonstrou que “a população de São Paulo está indo na linha daquilo que realmente precisamos”. No entanto, acredita que as coisas começarão a melhorar quando o distanciamento social chegar a marca de 60% e as pessoas saírem de casa apenas por “motivos excepcionais”. 

Ao fazer o balanço da medida que entrou em vigor a partir da meia-noite de hoje para combater o avanço do novo coronavírus na cidade de São Paulo, Caram explicou que foi registrado 1 km de congestionamento durante a manhã por conta de um acidente que aconteceu na avenida 23 de Maio. 

“Mas logo depois que houve a remoção [dos veículos], a via voltou a circular normalmente e o índice caiu a zero novamente”, afirmou.

Com relação ao índice de lentidão, o secretário disse que tanto na semana passada como na retrasada houve 21 km de lentidão às 8h da manhã em comparação aos 4 km registrados nesta segunda. 

“Ou seja, muito menos carros em circulação, as ruas ficaram mais livres e tranquilas”, afirmou.

À CNN, mais cedo, Alexandre Baldy, secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, afirmou que por conta da nova medida houve um aumento no número de pessoas usando metrô e trens

Questionado se o fato das pessoas circularem no transporte público ao invés de usarem seus carros próprios não aumentaria o risco de contágio, Caram disse que “o metrô e o trem com certeza farão a adequação necessária da mesma forma que a SPTrans fez”.

“Colocamos mil ônibus a mais em circulação e mais 600 ônibus em espera, caso houvesse necessidade de colocá-los [em circulação]. No entanto, não houve essa necessidade. Então, com certeza, tanto o Metrô quanto a CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] já devem estar fazendo seus estudos para adequarem a sua frota”, disse.

No novo rodízio, os carros com placas de final ímpar (1, 3, 5, 7 e 9) só poderão circular nos dias ímpares. Os carros com placa final par (0, 2, 4, 6 ou 8) só poderão circular nos dias pares.