Prova para validar diplomas de médicos formados no exterior será em outubro

Ministro Abraham Weintraub afirmou que o edital do exame será publicado no mês de julho e a aplicação da prova ocorrerá em outubro deste ano

Rudá Moreira Da CNN, em Brasília
14 de maio de 2020 às 15:00 | Atualizado 14 de maio de 2020 às 15:38

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou nesta quinta-feira (14) que já estão definidas as datas para publicação do edital e aplicação das provas do Revalida — exame para validar no Brasil os diplomas de médicos formados em universidades do exterior—, que não é realizado há três anos, desde 2017.

De acordo com o ministro, o cronograma foi fechado com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep).

Weintraub revelou que o edital do exame será publicado no mês de julho e a aplicação da prova ocorrerá em outubro deste ano. "A edição deste ano ocorrerá em dois turnos, com 100 questões objetivas e 5 discursivas", publicou Abraham Weintraub em sua conta numa rede social.

A realização da prova é uma demanda cobrada por cerca de 15 mil estudantes de medicina formados no exterior.

Sem a prova, eles são impedidos legalmente de atuarem na medicina no Brasil. Com a realização do Revalida, os médicos formados fora do país aprovados no teste poderão reforçar o quadro de profissionais e fortalecer o sistema de saúde no combate à pandemia de Covid-19.

O próprio ministro da Educação confessou que a cobrança estava grande. "Recebi muitas mensagens pedindo um posicionamento sobre o Revalida", disse. Weintraub afirmou, ainda, que o exame é necessário para "atestar os conhecimentos técnicos e obter o reconhecimento do diploma para atuarem na profissão aqui no nosso país".

A prova será aplicada em 11 de outubro. Como é de praxe, são duas etapas: teórica e prática. A primeira é dividida em duas etapas: 100 questões objetivas, no turno da manhã, e 5 discursivas, à tarde. Prevista para dezembro, a segunda etapa é realizada em uma estação clínica, com edital próprio, e só poderá realizá-la quem for aprovado na primeira. O candidato fará 10 anamneses — "entrevistas" para diagnóstico inicial da doença — em  "pacientes" com diversos sintomas simulados. Quem reprovar na segunda fase pode refazê-la por mais duas vezes em edições consecutivas — anteriormente, era necessário realizar todo o processo desde o início.   

Entenda o que é o Revalida

O exame tem o objetivo de verificar a aquisição de conhecimentos, habilidades e competências requeridas para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), em nível equivalente ao exigido dos médicos formados no país. 

O Revalida foi estabelecido em 2011 e é fruto de parceria entre os ministérios da Educação e da Saúde. Foram sete edições até 2017, com um total de 24.327 inscrições. A maioria dos participantes nas sete edições era de nacionalidade brasileira — no último exame, aproximadamente 60%. A Bolívia lidera a quantidade de tentativas de revalidação de diploma. A última edição teve 7.380 inscritos, dos quais 393 foram aprovados.

À CNN, a Associação de Médicos Brasileiros Formados no Exterior (AMBFEX) criticou a demora do governo de quase três anos desde o lançamento do último edital do Revalida: "Esse edital já passou do tempo de ter sido lançado. Nós, médicos brasileiros formados no exterior, já estamos há 3 anos sem o exame de revalidação. Foi necessário chegar a uma situação de pandemia, para o governo brasileiro entender que o povo precisa de assistência médica".