Ao menos 11 cidades do litoral de SP terão acessos com bloqueios no megaferiado


Pedro Duran, da CNN, em São Paulo
19 de maio de 2020 às 20:29 | Atualizado 19 de maio de 2020 às 21:44

Pelo menos 11 cidades do litoral de São Paulo terão bloqueios em seus acessos durante o megaferiado na capital do estado, que começa nesta quarta-feira (20). Os bloqueios deverão ser oficializados por meio de decretos publicados amanhã.

No litoral norte, as vias de saída das rodovias Oswaldo Cruz e Tamoios terão bloqueios impostos pelas prefeituras de Caraguatatuba e Ubatuba. No litoral sul, todas as nove cidades da Baixada Santista terão pelo menos um bloqueio. É o caso de cidades como Santos, Guarujá e Peruíbe.

Esses bloqueios terão agentes de saúde das prefeituras, além da guarda civil dos municípios, mas ainda receberão o apoio de agentes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Estadual.

Leia também:

Prefeitos de cidades litorâneas de São Paulo concordam com restrições de vias

Não é lockdown, serviços essenciais podem funcionar em feriados, diz Covas

A terça-feira (19) foi dia de apagar incêndios no Palácio dos Bandeirantes. Depois do anúncio do megaferiado na capital apoiado pelo governo, que ainda pediu antecipação do feriado de 9 de julho, prefeitos do litoral paulista reagiram à medida e manifestaram publicamente a preocupação com os riscos de espalhar ainda mais o coronavírus.

O primeiro escalão do governo de João Doria (PSDB) teve que entrar em ação e fez uma série de reuniões ao longo do dia com prefeitos do litoral para ouvir as reclamações e organizar um plano de apoio. Foram envolvidos os secretários de Logística e Abastecimento, João Octaviano; Turismo, Vinicius Lummertz; e Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Estradas livres

O governo decidiu que não vai bloquear e nem permitir barreiras sanitárias em nenhuma rodovia estadual, mas prometeu suporte para os prefeitos que decidirem impor bloqueios nas cidades. Tudo isso porque há um risco de uma descida em massa para o litoral. Mesmo em tempos de coronavírus, ainda há muita gente viajando.

“Num feriado normal, são 2,5 milhões de veículos indo para o litoral norte e sul do estado. Eu. que tenho o papel de dizer para as pessoas viajarem. agora estou pedindo pra elas ficarem em casa. Mesmo assim, nos feriados com a Covid-19, observamos 1 milhão de carros descendo pro litoral”, disse Lummertz à CNN.

A Secretaria de Segurança Pública ainda vai definir o total de policiais militares que serão deslocados para estas ações. Entre agentes estaduais de saúde e funcionários do DER, a estimativa inicial é de pelo menos 300 pessoas.

O governo estadual fala em “fiscalização severa”, mas na prática a Polícia Militar não vai impedir ninguém de circular. Eles vão fazer o que costumam numa operação regular de blitz: checar CNH, antecedentes criminais, placa dos veículos, documentos e eventualmente usar o bafômetro. Já os agentes de saúde das prefeituras vão medir a temperatura das pessoas e vão fazer perguntas sobre os sintomas do coronavírus.

Grande SP segue capital

Até agora, o governo conta com a antecipação de feriados municipais em 37 das 39 cidades da região metropolitana. Como isso depende de projetos de lei e decretos, os municípios não vão conseguir seguir São Paulo e terão feriados a partir de sexta. É o caso das cidades do ABC Paulista (Santo André, São Bernardo e Sao Caetano), que já terão na sexta o feriado de Corpus Christi.

“De ontem para hoje, eu falei com pelo menos 50 prefeitos. Entre os da região metropolitana, 37 dos 39 sinalizaram positivamente pra antecipação de feriados. Com os do litoral, estamos construindo as medidas de apoio aos bloqueios locais”, disse Marco Vinholi à CNN.