Suspensão de comissões do Senado trava a indicação de 32 embaixadores

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, apenas Plenário da Casa está funcionando

André Spigariol Da CNN, em Brasília
29 de maio de 2020 às 19:12 | Atualizado 29 de maio de 2020 às 19:12
Senado está com comissões paralisadas desde o início da pandemia da Covid-19
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A suspensão do funcionamento das comissões do Senado Federal travou a análise de 32 indicações de novos embaixadores que estão paradas na Casa e no Itamaraty. Desde o início da pandemia, o presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP) determinou que apenas o plenário continuaria funcionando, por meio do sistema de deliberação remota.

De acordo com o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), a situação causa prejuízos ao Ministério das Relações Exteriores. “Isso tudo está travando a diplomacia brasileira. Eu já conversei com o presidente Davi sobre esse assunto e a questão está no radar dele para ter uma solução nos próximos dias”, diz o parlamentar, em entrevista à CNN.

Além da suspensão de comissões, o SDR também impede as votações secretas pelo plenário do Senado Federal, um passo necessário para aprovar as indicações de embaixadores no exterior. Atualmente, estão travadas as nomeações de Nestor Forster Jr., designado por Jair Bolsonaro para a embaixada do Brasil em Washington, e de Hermano Telles Ribeiro, próximo embaixador no Líbano. Já sabatinados, ambos aguardam apenas a aprovação pelo plenário. 

Leia e assista também

Bolsonaro e Araújo realizam novas trocas no Itamaraty em postos estratégicos

Outras seis indicações de Jair Bolsonaro para postos no exterior tramitam vagarosamente pelo Senado. Cinco delas sequer foram encaminhadas pelo presidente da casa, Davi Alcolumbre, à CRE: 

General Gerson Menandro – para a embaixada em Israel;
Norberto Moretti – para a missão brasileira junto à Organização da Aviação Civil Internacional (Montreal); 
Carlos Duarte – para a missão do Brasil em Viena; 
Reinaldo Salgado – Buenos Aires;
Paulo Roberto Soares Pacheco – Santiago. 

A Comissão ainda precisa que seus trabalhos sejam retomados para marcar a sabatina do embaixador Paulo Roberto Caminha de Castilhos França, indicado por Bolsonaro para a embaixada do Brasil em Haia (Holanda). 

Enquanto a situação não se resolve, o Ministério das Relações Exteriores tem outras 26 indicações prontas para serem enviadas ao Senado Federal, conforme relatou uma fonte da diplomacia à CNN. A informação foi confirmada por servidores da casa ouvidos pela reportagem.