Casos de Covid-19 disparam, e 5 cidades da Grande Campinas fecham comércio

Na prática, a região que está na fase laranja do plano de flexibilização, vai voltar por conta própria para a fase vermelha

Pedro Duran Da CNN, em São Paulo
24 de junho de 2020 às 12:05
Profissional aplica teste do tipo RT-PCR para detecção do novo coronavírus
Foto: Callaghan O'Hare/Reuters (23.jun.2020)

Santa Gertrudes, Limeira, Cordeirópolis, Rio Claro e Araras tomaram a decisão conjunta de aumentar o nível de restrições e fechar o comércio de rua das cidades a partir da quinta-feira (25). Na prática, a região que está na fase laranja do plano de flexibilização, vai voltar por conta própria para a fase vermelha.

Leia também:
Bolsonaro decide hoje sobre parceria para produção de vacina contra coronavírus

As cidades que ficam a pouco mais de 150 km da capital paulista terão apenas os serviços essenciais funcionando. As cinco cidades ficam entre Campinas e São Carlos, a noroeste de São Paulo, e na última semana viram disparar os casos de coronavírus. Juntas elas têm cerca de 700 mil habitantes.  

A decisão dos prefeitos foi tomada no início desta semana depois dos casos crescerem  exponencialmente. Só nos últimos dois dias, a pequena Araras, de 134 mil habitantes, teve quatro mortes por coronavírus.

"A gente teve também um problema com um medicamento que estava em falta, um anestésico usado para a entubação de pacientes graves, o que nos deixou bastante preocupados", disse o prefeito Junior Franco à CNN.

Em Araras, até mesmo os serviços essenciais como supermercados e postos de gasolina precisarão fechar as portas em determinados horários. Aos finais de semana eles só terão autorização a funcionar no sábado até as 13h e deverão manter as portas fechadas até segunda-feira de manhã. Por lá as alterações no funcionamento do comércio começam apenas no próximo sábado (27/6).

Em Cordeirópolis, o horário de atuação da Guarda Civil Municipal sofreu alterações por conta do coronavírus. Para fiscalizar o fechamento do comércio que começa a valer nesta quinta-feira, 25/6, o prefeito Adinan Ortolan determinou que em vez dos turnos de 36 horas de trabalho com 12 horas de descanso, eles passassem a adotar escalas 12 por 12.

Com 7% da população da cidade que tem cerca de 25 mil habitantes já testada, Cordeirópolis ultrapassou os 200 casos e já registra 5 mortes por coronavírus. Pra fazer testes em massa, a cidade contou com uma parceria com a USP, o que estava ajudando a manter o rastreio de cada caso, fazendo um acompanhamento dos infectados e da transmissão entre quem teve contato, como amigos e familiares.

Acontece que na última semana, o prefeito Adinan Ortolan conta que eles perderam o controle disso. "Isso estava dando certo mas da semana passada pra essa nós perdemos o radar da doença. De zero a 10 minha preocupação era 5, mas hoje já é 9", disse ele em entrevista à CNN.

Contaminação no interior supera a capital

Nos últimos dias, um dado acendeu um alerta maior na equipe da gestão Doria. O interior ultrapassou a capital paulista em número de novos casos. No período de 15 a 21 de junho, os casos novos no interior foram quase 18 mil, enquanto na capital paulista foram pouco mais de 15 mil, uma diferença de 14%.

Isso fez com que o governo estadual acendesse um alerta para as cidades do interior do estado, já que na capital paulista a ocupação dos leitos de UTI está diminuindo e já há planos de desativação dos hospitais de campanha, como o do Pacaembu, que tem previsão de funcionar até 31/7.