Avanço da pandemia de Covid-19 em Goiás preocupa governador e prefeitos

Aumento de casos pode causar colapso no sistema de saúde do estado

Da CNN, em São Paulo
25 de junho de 2020 às 15:08

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), convocou uma reunião com todos os prefeitos goianos e representantes dos poderes na próxima segunda-feira (29) para discutir medidas para enfrentamento do avanço do novo coronavírus no estado nos próximos 30 dias.

Goiás chegou ao 106º dia de combate à pandemia. O governo do estado adotou medidas rígidas para diminuir a disseminação da doença uma semana depois de confirmar os primeiros casos da Covid-19 no estado. A taxa de isolamento social foi de quase 65% nos meses de março e abril, a maior do país nesse período.

A primeira morte na região foi confirmada em 26 de março e demorou exatos dois meses para Goiás completar 100 mortes pelo novo coronavírus e os números que estavam controlados cresceram rapidamente. No último boletim epidemiológico, divulgado pela secretaria estadual de saúde, foi registrado um recorde no número de mortes em 24 horas: 34 em um dia. Já são 363 vítimas da Covid-19 no estado.

Assista e leia também:

Caiado defende 'fechamento mais rígido' para frear avanço da Covid-19 em Goiás

Na última semana, Goiás também registrou um aumento considerável no número de novos casos. Ao todo, hoje, são 19.379 diagnosticados com a doença. O isolamento social que antes era referência, agora só não é superior ao Tocantins, e está sempre abaixo de 36%.

Além disso, a taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para o tratamento da Covid-19 preocupa as autoridades. São 104 na rede estadual e 17 estão disponíveis, ou seja, uma ocupação superior a 80%. Mesmo assim, muitas atividades econômicas já foram retomadas.

As regras do estado continuam rígidas, mas os prefeitos podem decidir se flexibilizam ou não o comércio não essencial. Em Goiânia, por exemplo, voltaram a funcionar esta semana os shoppings, lojas de rua e camelódromos.