Interior de SP ultrapassa capital em número de mortes por Covid-19


Guilherme Venaglia, da CNN em São Paulo
25 de junho de 2020 às 13:19 | Atualizado 25 de junho de 2020 às 20:42

Os números mais recentes do governo de São Paulo mostram que, pela primeira vez, o interior do estado registra total de mortes por Covid-19 maior do que a capital paulista.

Segundo o secretário-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus, João Gabbardo, 6.677 pessoas morreram no interior do estado vítimas da doença, contra 6.675 da cidade de São Paulo. Quando calculada a incidência média de cada região, a ocorrência ainda é proporcionalmente maior na capital, mas, afirma Gabbardo, essa diferença está em queda acentuada. 

"A diferença é muito grande nessa taxa de incidência de casos quando comparado o interior com a capital. Isso nos leva a acreditar e projetar o aumento significativo que nós teremos no interior do estado, porque a tendência é que a diferença da incidência tenda a reduzir", diz o médico.

Segundo o secretário-executivo, a incidência da capital, tanto em casos quanto em mortes, era de cerca de nove vezes a registrada no interior no início da pandemia. Essa proporção caiu para menos de três vezes mais nesta semana.

Prefeitos

O secretário do Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, defendeu que os prefeitos adotem postura baseada na ciência e não em "populismo". Vinholi parabenizou os gestores que adotaram medidas mais rígidas, em razão da situação local.

"Se torna cada vez mais contundente a atuação dos gestores municipais. Aqueles gestores que, ao invés de atuarem com populismo, atuam com a técnica, com a ciência e com responsabilidade", afirmou o secretário.

Levantamento do governo estadual, ao qual a CNN teve acesso, pelo menos 29 cidades do estado de São Paulo baixaram decretos municipais que não seguem o plano da gestão do governador João Doria (PSDB) para a retomada gradual de atividades por região.

Capital

Os responsáveis pela apresentação do governo de São Paulo adiantaram números positivos a respeito da capital, um dia antes da data prevista para a reavaliação da classificação de fase da cidade no Plano São Paulo. Uma progressão para a fase amarela, como prevista pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) na quarta-feira (24) em transmissão com o banco Itaú BBA, permitiria a reabertura de bares e restaurantes.

Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, a cidade tem estabilização do número de novos casos, com tendência de queda de se descontado o aumento na testagem. Na capital, informa a secretária, as internações caíram em torno de 7% e as mortes, 1,5%.

O secretário-executivo João Gabbardo afirmou que a ocupação de leitos na cidade está em queda. Carlos Carvalho, médico do Centro de Contingência, afirmou que a estrutura disponível na capital poderá ser utilizada em caso de lotação no interior. Os hospitais de campanha do Ibirapuera e do Heliópolis, até segunda ordem, serão mantidos.