Ibama afasta servidor sob suspeita de participação no caso da cobra naja

"Já está em andamento um processo administrativo disciplinar interno para investigar suposta participação de servidor no caso", diz nota do órgão

Zeinab Bazzi, com supervisão de André Rosa Da CNN, em São Paulo
18 de julho de 2020 às 19:01 | Atualizado 18 de julho de 2020 às 19:06
Polícia encontra cobra naja que picou estudante no Distrito Federal
Foto: Divulgação - Batalhão de Polícia Militar Ambiental do DF


O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou, por meio de nota, que afastou um servidor para investigar uma suposta participação no caso da cobra naja que picou um estudante no Distrito Federal.

Sem mais detalhes, o Ibama informou que um processo administrativo disciplinar interno está em andamento e que o órgão está atuando em participação com a polícia. 

O estudante Pedro Henrique Krambeck foi picado por uma cobra Naja no dia 7 de julho e, segundo o órgão, o rapaz não tinha autorização para criar animais exóticos.

Veja a íntegra da nota:
"O Ibama informa que tem atuado em conjunto com a polícia e já está em andamento um processo administrativo disciplinar interno para investigar suposta participação de servidor no caso, que foi afastado do Cetas até o fim das investigações."

Leia também:

Ibama multa em R$ 78 mil estudante picado por cobra naja no DF e família dele

Depois de naja, Ibama aplica multas de mais de R$ 300 mil por criações ilegais